Paralisação de aeroportuários atinge 60% no Rio

Os aeroportuários do Rio de Janeiro, que não haviam aderido à greve da categoria, iniciada a zero hora desta terça-feira, paralisaram suas atividades na manhã desta quarta-feira, 5. Segundo o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), a mobilização continua com aproximadamente 70% de adesão em todo país. No Rio de Janeiro, dos 1,4 mil trabalhadores, 60% pararam. A Infraero nega que a paralisação de 48 horas, que os aeroviários planejaram e que termina à meia-noite de hoje, esteja afetando o funcionamento dos aeroportos.Em reunião na tarde de terça entre os presidentes do sindicato, José de Alencar Sobrinho, e da estatal, José Carlos Pereira, a Infraero mostrou-se comprometida com a causa dos aeroportuários, conforme informou a assessoria de imprensa do Sina.O presidente da Infraero, segundo o sindicato, teria garantido que tem mantido contato com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para aprovação do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) e do reajuste reivindicado pelos trabalhadores, de 37,4%, e que, "da sua parte, o plano já está aprovado".O diretor financeiro, Adenauher Figueira Nunes, que também participou da reunião, teria declarado que há R$ 250 milhões disponíveis em caixa, fruto de um programa de gestão financeira e renegociação de contratos já realizados, que poderiam ser destinados ao pagamento do plano aos trabalhadores, calculado em R$ 113 milhões.O sindicato afirmou que "a notícia de que a Infraero concorda com o encaminhamento das reivindicações é positiva, mas não suficiente" e que a greve está mantida pelo menos até a meia-noite de hoje. Assembléias serão feitas em todo o país para decidir os rumos da greve, tendo em vista a reabertura da mesa de negociações com a Infraero.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.