Paralisação de ônibus em SP prejudica um milhão de pessoas

Pontos de ônibus e terminais lotados. Da meia noite às 6 horas, 13 garagens de coletivos da cidade não abriram. A paralisação foi idealizada pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores, que reivindica o salário do mês de fevereiro que deveria ter sido pago na última sexta-feira, mas na maioria das empresas ainda não foi feito A estimativa da Secretaria Municipal de Transportes é que um milhão de pessoas foram prejudicadas. Na zona sul, alguns terminais de ônibus menores ficaram fechados até às 5h30 para evitar aglomeração de pessoas e protestos de passageiros. Às 6h30, quando os ônibus começaram a chegar ao Terminal Santo Amaro a Polícia Militar teve que ser chamada para organizar as filas. Na zona leste, a situação não era diferente. A maioria das pessoas que chegaram ao terminal A.E. Carvalho não sabiam da paralisação. "É uma sacanagem, porque não avisaram antes, agora vou perder a hora de entrar no trabalho", disse Marcos José Bezerra. Até 8 horas a circulação de ônibus ainda não tinha voltado ao normal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.