Paraná faz acordo com MST para vacinar gado

O governo do Paraná anunciou nesta quinta-feira ter fechado um acordo com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para garantir a vacinação contra a febre aftosa do rebanho que está em duas áreas invadidas pelo movimento.Os veterinários, vacinadores e peões profissionais poderão entrar nas fazendas Sete Mil, em Jardim Alegre, e São Francisco, em Planaltina do Paraná, a partir de segunda-feira. Nesta sexta-feira, a Secretaria da Agricultura entrega ao MST arames, pregos, grampos e outros materiais necessários para recuperar as cercas e mangueiras das fazendas, onde será reunido o gado para a vacinação.A secretaria aproveitará para fazer uma operação pente-fino e uma auditagem nas duas áreas, levantando o exato número de animais. A previsão é de que haja 700 animais na Sete Mil e 500 na São Francisco. A secretaria ficará com a responsabilidade de comprar as vacinas necessárias. O período oficial de vacinação encerrou-se no dia 20. No entanto, somente agora a secretaria conseguiu encerrar as negociações com o MST."Os líderes do movimento entenderam que a vacinação de todo o rebanho contra a aftosa é necessária, sob pena de pôr em risco toda a pecuária paranaense", disse o secretário em exercício, Norberto Ortigara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.