Paraná faz mutirão antidengue em 11 municípios na quinta

Uma força-tarefa criada pelo governo do Paraná para combater o mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, vai disponibilizar a partir de quinta-feira, 26, sua infra-estrutura para 11 municípios paranaenses onde são registrados o maior número de casos da doença. O mutirão vai atingir as cidades de Prado Ferreira, Miraselva, Florestópolis, Nova Santa Rosa, Palotina, Marechal Cândido Rondon, Ubiratã, Cianorte, Itaipulândia, Santa Helena e Maringá. Em uma segunda etapa, outros 22 municípios farão parte do mutirão, que se entenderá durante 40 dias. Até o mês de abril, o Paraná registrou 22.920 notificações de casos suspeitos e 6.709 foram confirmados, entre casos importados e autóctones (contraídos dentro do próprio município). Na terça-feira, 23, foram definidos os detalhes do combate à dengue no mutirão. Para a retirada do lixo que serve como criadouro do Aedes aegypti, serão cedidos dez caminhões e uma pá carregadeira pela Secretaria de Transportes, roupas para aplicação do inseticidas pela Secretaria da Saúde além de máscaras e óculos com a mesma finalidade, 150 alunos do Batalhão da Política Militar, além de outros materiais como água e alimentação para os envolvidos no mutirão, que contará com a participação de soldados do Exército Brasileiro. O governo do Paraná informou que está adquirindo em caráter emergencial 150 bombas costais para aplicações de inseticida e mais oito equipamentos do "fumacê" para acoplar em veículos, além de mais cinco que virão do Ministério da Saúde que se somarão aos 25 equipamentos que já estão em atividade. Ao todo serão, 37 unidades móveis para realizar o "fumacê". A contribuição da Secretaria da Educação se dará por meio da distribuição de um DVD e um material impresso nas 350 escolas estaduais dos 33 municípios envolvidos, o que deve atingir 180 mil alunos. Além disso, a Associações de Pais e Mestres (APM) das escolas estaduais realizarão reuniões com integrantes da comunidade, acompanhados por técnicos da área da saúde, para explicar as maneiras de prevenção e o ciclo de vida dos mosquitos. Um questionário também será disponibilizado nas escolas, para que possam realizar pesquisas e verificar quais aspectos devem ser trabalhados junto à comunidade. A comunicação da prevenção à dengue será realizada com visitas de uma equipe nas emissoras de rádios dos municípios, falando sobre a importância do trabalho. Um milhão de cartazes também já estão produzidos para serem utilizados durante os mutirões.

Agencia Estado,

25 Abril 2007 | 10h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.