Paraná vai mandar sopão para Argentina

O governo do Paraná vai enviar 4 mil latas de supersopa para a Argentina, atendendo ao pedido da primeira-dama daquele país, Hilda Duhalde. "Essa quantidade é suficiente para atender 160 mil pessoas", afirmou o governador Jaime Lerner (PFL).A solicitação foi feita por meio de carta enviada pelo presidente da Federação Argentina de Produtores de Hortigranjeiros, Raul Giboudot.Ainda não foi definido o dia nem a forma como as latas serão mandadas para o país vizinho. A supersopa é um alimento concentrado, em forma de pasta, rico em vitaminas e nutrientes, disponível nos sabores legumes e sopa de galinha.Para sua fabricação são utilizados os excedentes de verduras e legumes vendidos na Ceasa do Paraná. O programa existe desde 1996, sendo coordenado pela Secretaria da Criança e Assuntos da Família.Somente no ano passado foram produzidas 3 milhões de refeições, equivalente a 73 mil latas. O alimento é distribuído em creches e entidades assistenciais e já ajudou vários Estados e países em situação de calamidade.Além das sopas, Chiche, como a primeira-dama argentina é conhecida, pediu que o governo paranaense repasse à Argentina a tecnologia para produzir a supersopa nas centrais de abastecimento de seu país.Esse será um dos projetos que ela desenvolverá como ministra do Desenvolvimento Social. O presidente da Ceasa do Paraná, José Lupion Neto, vai enviar cópias das plantas e projetos de engenharia do Nutricentro, fábrica instalada na Ceasa.O custo de instalação da fábrica é de aproximadamente R$ 300 mil. "Em 90 dias uma fábrica pode começar a operar", disse.Leia o especial

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2002 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.