Parceria vai acompanhar crianças atendidas pelo Bolsa-Escola

Foi criada hoje uma rede nacional para acompanhar a vida escolar das crianças atendidas pelo programa Bolsa-Escola. A rede, chamada Parceria de Entidades Nacionais para Acompanhamento da Freqüência Escolar (Presente), é composta pelo Ministério Público, pela Secretaria Nacional de Esportes, Ministério da Saúde, Fundação Banco do Brasil e por algumas secretarias estaduais do Trabalho.Cada um terá uma função: o Ministério Público vai fiscalizar se as crianças estão freqüentando a escola e os agentes comunitários de saúde também vão ajudar nesse trabalho quando visitarem as famílias. A Fundação vai alfabetizar os pais dessas crianças, a Secretaria de Esportes vai melhorar o acesso dos estudantes a práticas esportivas, e as secretarias de trabalho vão dar formação profissionalizante aos egressos do programa.Segundo as regras do Bolsa-Escola, os alunos têm de comparecer a pelo menos 85% das aulas. Quem não respeita essa regra, é cortado do programa e deixa de receber a bolsa. Mas como as crianças normalmente freqüentam escolas estaduais e municipais e o programa é federal, fica difícil acompanhar se a regra está realmente sendo cumprida.Assim sendo, o Ministério da Educação (MEC), que é o responsável pelo gerenciamento do Bolsa-Escola, resolveu fazer as parcerias para reforçar o controle nos municípios. "Não seria possível fazer o controle sozinho", ressaltou o secretário nacional do Bolsa-Escola, Floriano Pesaro."Nosso sistema educacional é descentralizado. Por isso é preciso que a comunidade acompanhe para que as ações saiam do papel e se realizem na prática", disse o ministro da Educação, Paulo Renato Souza, lembrando que os conselhos são o principal canal de participação da comunidade. Em todos os municípios onde o programa foi implantado, existe um conselho para acompanhar se ele está funcionando corretamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.