Parente é o principal suspeito de matar estudante em MG

Os responsáveis pela morte do estudante Reginaldo Martins Prado Júnior, de 24 anos, e pelo seqüestro de seu irmão, Fabrício Martins Prado, ainda não fizeram qualquer contato com a polícia ou com a família dos jovens. Porém, a polícia de Uberaba, no Triângulo Mineiro, já tem os retratos falados dos dois homens que teriam invadido a república dos estudantes na quinta-feira. O principal suspeito é um primo de Reginaldo Martins Prado, pai dos estudantes. As investigações estão sendo feitas em Minas e no interior da Bahia, onde moram os familiares dos estudantes. De acordo com o delegado Wagner Caldeira, que está em Candiba, na Bahia, acompanhando as investigações, a polícia trabalha com algumas hipóteses, mas a principal delas é de que um primo do pai dos estudantes, que é prefeito de Candiba e possui negócios em Guanambi, cidade vizinha, teria se desentendido com Reginaldo Martins Prado e, para se vingar, cometeu os crimes. ?Existem alguns suspeitos que estão sendo investigados. Mas ainda não podemos revelar nomes, para não atrapalhar as investigações. O que posso dizer é que estamos analisando as possibilidades, a partir do envolvimento dos próprios familiares?, informou o delegado responsável pelo caso. Para auxiliar nas investigações, uma equipe do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), de Belo Horizonte, está em Uberaba. O desentendimento com o primo, que está desaparecido, teria surgido após o prefeito detectar desfalques financeiros na contabilidade de suas empresas. O parente era funcionário do empresário e, de acordo com a polícia, seria o responsável pelo crime. O acusado dos desfalques foi demitido e teria se mudado para a cidade de Osasco, na Grande São Paulo, onde passou a integrar uma quadrilha que agia na região. Em seguida, teria retornado a Guanambi, quando assaltou a residência do prefeito, levando cerca de R$ 3 milhões. O corpo de Reginaldo Martins Prado Júnior foi sepultado na sexta-feira, pela manhã, em Guanambi, no cemitério Santo Antônio. Já Fabrício Martins Prado, irmão de Reginaldo, que se mudou para Uberaba para estudar, continua desaparecido. Além dos retratos falados e do suspeito, a polícia encontrou os dois carros usados na fuga - um em Uberaba e outro em Araxá. No veículo abandonado, em Araxá, foi encontrada munição para revólver calibre 45, igual ao que matou o estudante de direito.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2003 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.