Parentes de passageiros chineses vão para o Rio

Funcionários do Consulado da China no Rio informaram que parentes dos nove chineses que embarcaram no voo 447 da Air France estão a caminho do Rio para acompanhar as buscas. As famílias chinesas ficarão hospedadas no Hotel Windsor Guanabara, no centro do Rio, onde a Air France montou um centro de informações para os parentes das vítimas, e serão acompanhadas pelas autoridades consulares até o fim das buscas.Enquanto isso, aumentam as queixas das famílias brasileiras, como relatou anteontem Marteen Van Sluijs, irmão de uma das vítimas. "Veio um ministro da França, nos deu atenção aqui. Vimos, na Europa, que o rei da Espanha foi ao encontro das famílias dos espanhóis vitimados, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, foi rapidamente ao aeroporto. A gente entende que o nosso presidente estava em viagem. Mas as coisas aqui estão muito na base de boletins", ressaltou. As famílias, agora que as buscas começam a retirar corpos do Atlântico, temem sobretudo a burocracia. Para eles, a documentação de óbitos no País, em caso de acidentes, é morosa e muito complicada.O vice-presidente José Alencar disse ontem que "tem acompanhado admirado" os trabalhos desenvolvidos pela Aeronáutica e pela Marinha e garantiu que toda a atenção será dada às famílias.Ele ressalvou que as buscas são realizadas "em condições difíceis, até mesmo impondo riscos aos que ali estão". Ele avisou, no entanto, que "tudo que é possível está sendo feito" e destacou que "o resgate dos corpos continuará, na medida do possível."

Pedro Dantas e Tânia Monteiro, RIO, O Estadao de S.Paulo

11 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.