Parentes do jogador Marcelinho Paraíba são presos por corrupção de menores

A dona de casa Elita Gomes dos Santos, 52, mãe do jogador Marcelinho Paraíba, foi presa na madrugada deste sábado, 09, em Campina Grande, na Paraíba, juntamente com a filha, Marcela Gomes dos Santos, 29 e o namorado da filha, Valcristian Moraes de Almeida, 26, sob a acusação de corrupção de menores. No momento da prisão, os três saíam do Parque Motel, localizado na BR-230, na entrada da cidade de Campina Grande, em um táxi, junto com a menor A.C.S., de 16 anos.Eles foram flagrados por patrulheiros rodoviários que passavam em frente ao motel no momento em que o táxi deixava o local. Os policiais resolveram parar o táxi para fazer uma abordagem e pedir os documentos do condutor e do veículo, procedimento considerado normal pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas estradas que cortam a Paraíba. Na abordagem, os patrulheiros perceberam que havia uma menor no interior do veículo e, como o táxi saía de um motel, chamaram a Polícia Civil.Todos foram levados para a Central de Polícia da cidade, inclusive o taxista Carlos Antônio Gomes da Silva. Eles foram ouvidos pelo delegado que estava de plantão, Cristiano Rodrigo. O taxista disse que pegou uma corrida num bar com as três mulheres e, no meio do caminho, pegou o namorado da irmã de Marcelinho. Em seguida, Elita ordenou que o táxi seguisse para o motel. Ao chegar, ela pediu para que o taxista voltasse às 2h30, no que ele atendeu.A mãe de Marcelinho disse que estava numa suíte, com a sobrinha, apenas bebendo, enquanto a filha e o namorado estavam em outra suíte, namorando. A irmã de Marcelinho afirmou que pediu para a mãe ficar numa suíte ao lado enquanto namorava Valcristian. O jovem disse que apenas foi namorar, que sabia da presença da menor entre eles, mas que não tem nada a ver com a história. A menor afirmou que não bebe e que foi chamada pela tia para acompanhá-la.O delegado resolveu liberar o taxista e indiciar Elita, Marcela e Valcristian por corrupção de menores. Eles estão detidos na carceragem da Central de Polícia, de onde devem seguir para a Casa de Detenção do Monte Santo, no centro da cidade, onde aguardarão o pronunciamento da justiça. A menor foi entregue à família. O pai do jogador Marcelinho Paraíba, Pedrinho, que foi jogador profissional, estava revoltado com o ocorrido e chegou a passar mal na Central de Polícia, sendo levado para um dos hospitais da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.