Parentes revoltados no RS

Em clima de consternação e revolta, cerca de cem familiares ficaram horas no Aeroporto Internacional Salgado Filho, na capital gaúcha, à espera da divulgação da lista dos passageiros do vôo 3054 da TAM. A empresa, porém, recusava-se a divulgar os nomes. A chegada de dez homens da Brigada Militar ao Aeroporto Salgado Filho, às 21h30, revoltou ainda mais os presentes. O reforço policial foi instalado dentro da sala do programa de assistência aos familiares das vítimas montado pela Infraero. Alguns familiares criticaram a ação afirmando que esperavam informações, mas em vez disso ''''botaram polícia''''. A TAM propôs que os familiares deixassem com a empresa o número do telefone e o nome do passageiro que poderia ter embarcado, prometendo entrar em contato posteriormente. O executivo Sérgio Chisini tinha viagem programada para o vôo, mas não conseguiu embarcar por um erro da agência de viagem. ''''Levei um choque, mas nessas horas temos de acreditar que tem um ser superior. Deus deve ter me poupado para que eu cumpra alguma coisa depois'''', disse, chorando.

Elder Ogliari, O Estado de S.Paulo

18 Julho 2007 | 05h22

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.