Parentes serão informados sobre investigações, diz embaixador

Embaixador especial da França vai cuidar das relações com os familiares das vítimas do Voo 447 da Air France

Agência Brasil,

08 de junho de 2009 | 15h57

O Embaixador da França no Brasil, Antoine Pouilieute, garantiu nesta segunda-feira, 8, que nenhum parente de vítima do voo 447 da Air France, que caiu no Oceano Atlântico depois de decolar do Rio de Janeiro com destino a Paris no dia 31 de maio, ficará sem informações sobre as investigações que serão feitas pela França.

 

Veja também:

video Vídeo: Operação de resgate

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

som Ouça a coletiva desta segunda-feira sobre o resgate dos 16 corpos

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialConheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

"O governo francês já nomeou um embaixador especial que vai cuidar das relações com os parentes das vítimas. Aliás, está na internet, no site oficial da Embaixada da França no Brasil, uma página especial com vários links com informações oficiais e validadas pelo governo francês relacionado a esse acidente", afirmou logo depois de participar da abertura do Seminário Internacional de Iniciativas Urbanas de Eficiência Energética.

 

Ele disse ainda que o governo francês não irá trabalhar com hipóteses sobre o acidente, "mas somente o que sabemos, não cabe a nós dizer coisas absurdas ou fazer hipóteses".

 

Pouilieute disse também que as autoridades brasileiras e francesas continuarão trabalhando juntas enquanto durar a busca e o resgate de corpos e destroços do avião. "Pode-se ter confiança que as autoridades brasileiras e francesas estão trabalhando em comum e vão continuar trabalhando conjuntamente e isso independe da nacionalidade das vítimas", disse.

 

Ele informou ainda que uma equipe de legistas franceses deve chegar hoje à noite em Recife para ajudar as equipes brasileiras na identificação dos corpos.

 

Pela manhã a Aeronáutica informou que foram resgatados 16 corpos que serão levados a Fernando de Noronha para dar início ao trabalho inicial de reconhecimento das vítimas. Depois disso, eles serão levados para Recife (PE), onde peritos do Instituto Médico Legal (IML) e da Polícia Federal irão fazer a identificação e, recorrer, se necessário, a exames de DNA.

 

Corpos

 

Depois de terem que corrigir informação divulgada no domingo, a Aeronáutica e a Marinha decidiram que não mais revelar à imprensa o sexo dos corpos das vítimas do voo 447 da Air France que forem resgatados no mar. Além disso, só será revelado o número de corpos que estiverem a bordo de navios militares brasileiros. O objetivo é evitar a divulgação de informações desencontradas.

 

"Todas as vezes que for necessário realizarmos alguma correção, nós o faremos, mas, em decorrência deste acontecimento, e para evitar problemas semelhantes, só notificaremos à imprensa sobre os corpos que estiverem em poder dos navios brasileiros. Da mesma forma, não informaremos mais o sexo dos corpos. Caberá ao Instituto Médico Legal [IML] de Recife fazer isso", disse o assessor de Comunicação da Aeronáutica, tenente Henry Munhoz.

 

Munhoz também explicou que as informações divulgados à imprensa durante as duas entrevistas coletivas diárias não são um retrato exato do que se passa no mar no momento em que estão sendo divulgadas. De acordo com o tenente, é sempre possível que outros corpos já tenham sido resgatados no momento das entrevistas.

 

"Todo o processo é dinâmico, e as informações que apresentamos aqui são contabilizadas poucas horas antes. No momento em que falamos à imprensa, outras coisas podem estar acontecendo e novas modificações surgindo", ressaltou Munhoz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.