Parentes terão reunião com Associação de Vítimas de Acidentes Aéreos

A comissão de familiares dos passageiros que estavam a bordo do Boeing 737-800 da Gol que caiu sexta-feira na Serra do Cachimbo, matando 155 pessoas, deverá se reunir ainda nesta quarta-feira,4, com representantes da Associação de Vítimas de Acidentes Aéreos. O empresário Mauro Calais Siqueira, um dos integrantes da comissão, afirmou que principal questão que será abordada é a possibilidade de se exigir que uma comissão independente internacional acompanhe as investigações do acidente. Este pedido já havia sido feito segunda-feira para o ministro da Defesa, Waldir Pires. "Queremos saber se isso já foi feito antes, quais os passos que devem ser seguidos", afirmou Siqueira.O encontro deverá ocorrer no hotel onde parte dos familiares das vítimas do avião da Gol está hospedada. O empresário, irmão do passageiro Plínio Siqueira, disse não estar convicto de que a investigação comandada por brasileiros é isenta. "Há sempre um filtro político na divulgação das informações. Isso nos deixa preocupado". Siqueira explicou que o encontro foi marcado a pedido dos próprios familiares. "Nossa intenção é trocar experiências, saber quais foram os erros, os acertos de pessoas que já passaram por uma situação como a nossa", disse. Um dos fatos que mais incomodou a comissão foi a forma como os dados são divulgados. "Soube que a caixa-preta havia sido encontrada. Mas havia recomendação que somente um militar de alta patente deveria fazer o comunicado oficial", disse.De acordo com a comissão, a previsão era a de que ainda nesta quarta 34 corpos encontrados seriam levados para a base instalada na Serra do Cachimbo. Ainda não havia confirmação se os corpos seriam trazidos hoje mesmo para Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.