Parlamentares aceitam fazer divulgação de notas

Procurados pela reportagem, os três vereadores de São Paulo campeões de gastos no uso da verba indenizatória defenderam ontem a divulgação dos fornecedores contratados com os recursos, assim como a Câmara dos Deputados promete fazer a partir de abril. Entre os 39 reeleitos, os parlamentares que mais gastaram são José Ferreira, o Zelão, com R$ 199.946,08, seguido por Eliseu Gabriel (PSB), que gastou R$ 194.703,49, e por Jooji Hato (PMDB), com R$ 192.508,84.Entre os três parlamentares que menos usaram a verba indenizatória estão os vereadores Carlos Apolinário (DEM), que em 15 meses gastou R$ 10.622,47, José Police Neto (PSDB), com R$ 47.915,30, e Celso Jatene (PTB), cuja declaração foi de R$ 87.948,31. Em meio à polêmica sobre a divulgação dos fornecedores, o vereador Antonio Donato (PT), que gastou R$ 122.296,32, divulgou as notas fiscais dos seus fornecedores no site pessoal na internet.Apesar de oficialmente se declararem favoráveis à publicidade dos fornecedores, parte dos líderes da Câmara quer apenas a divulgação dos contratos, sem nomes ou apresentação do CNPJ dos fornecedores. Alguns vereadores argumentam nos bastidores que a abertura total dos dados poderia causar uma "perseguição" da imprensa às empresas que recebem as verbas de gabinete. Com orçamento previsto de R$ 310 milhões para 2009, o Legislativo paulistano custa anualmente a cada contribuinte da capital R$ 28,23. Cada uma das 55 cadeiras do parlamento tem orçamento anual de R$ 5.641.855.

Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.