Parque do Ibirapuera veta fumo na marquise

Administração opta pela proibição, embora não haja impedimento legal

Fernanda Aranda, O Estadao de S.Paulo

23 Agosto 2009 | 00h00

Passados 15 dias desde que a lei antifumo começou a multar estabelecimentos que permitem fumo e fumódromos dentro de suas instalações, um cantinho imponente da capital paulista ainda abriga dúvidas sobre a aplicação ou não das regras contra o tabaco. A Marquise do Parque do Ibirapuera, na zona sul paulistana, ainda não foi declarada como um refúgio de fumantes. E, pelo entendimento da administração local, nem poderá ser. "O que entendemos é que não se pode fumar embaixo da marquise", afirmou o diretor do parque, Heraldo Guiaro. "Já estamos treinando a segurança para abordar os frequentadores e pensamos em formas de comunicação (adesivos e sinalização) para alertar os frequentadores", completou, em entrevista ao Estado na quinta-feira. A adaptação tardia da marquise às regras antitabaco, após 71 estabelecimentos terem sido punidos por infringir as normas, é porque ainda não há consenso sobre a permissão ou não de fumar em um dos locais mais frequentados por quem está no parque (1 milhão de pessoas visitam o local por mês). As Secretarias de Estado da Saúde e da Justiça, responsáveis pela fiscalização da lei, no início disseram que o fumo não seria permitido na marquise, mas depois mudaram a decisão, pouco antes de a legislação ser regulamentada. Pelo texto final da lei antifumo ficou definido de forma clara que seria permitido fumar em áreas livres como parques, mas não há especificação sobre locais como a marquise. A confusão permaneceu e o posicionamento atual da direção do Ibirapuera é o primeiro que direciona os fumantes que passarem pelo local. O governo do Estado informou que oficialmente "não há nenhum impedimento legal" para fumar embaixo da Marquise do Ibirapuera, mas, no entanto, a orientação é que "as pessoas sigam o que a administração do parque decidir como regra". A arquitetura da marquise é, em parte, responsável pelo embate. Apesar de coberta, é toda aberta nas laterais. A mesma "forma" duvidosa para a vigência da lei tem a entrada da Assembleia Legislativa e o vão do Masp. Na primeira, o fumo foi proibido. No segundo, está liberado. FESTA NO PARQUE O Parque do Ibirapuera comemorou, na sexta-feira, 55 anos de vida. A festa de aniversário, no entanto, acontece hoje, até as 16h. Doze pequenos palcos estarão distribuídos pelo parque e vão receber os afinados de plantão que quiserem fazer um show solo ou com sua banda anônima. A inscrição será lá mesmo, na hora Não haverá sistema elétrico de som. A proposta é que os sons da natureza sejam misturados às apresentações no estilo "um banquinho, um violão". E também haverá shows de bandas conhecidas, como a Big Band do Exército, o Instituto Souza Lima , o grupo Mahalab (trio de voz, violão e bateria) e o Quinteto de Metais do Teatro Municipal. Os espetáculos ocorrem simultaneamente

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.