Parte dos barracões da Cidade do Samba deve ser demolida após incêndio

Engenheiro diz que apenas a parte térrea da estrutura não foi comprometida; obra começa ainda esta semana

Marília Lopes, Central de Notícias

07 de fevereiro de 2011 | 14h31

SÃO PAULO - Após uma vistoria preliminar nos quatro barracões atingidos pelo incêndio na manhã desta segunda-feira, 7, na Cidade do Samba, região central do Rio, a Defesa Civil Municipal informou que parte das construções deverá ser demolida. Segundo o engenheiro Luis André Moreira Alves, os barracões devem ser derrubados a partir do segundo piso. Será preservado apenas a parte térrea das construções, que abriga os galpões onde são feitos os carros alegóricos.

 

Veja também:

linkLiesa e escolas vão se reunir para discutir carnaval

linkIncêndio causa desespero nas escolas

linkPaes sugere que não haja rebaixamento

linkIntegrantes da Portela são detidos

 

O incêndio atingiu os barracões das escolas de samba Grande Rio, Portela e União da Ilha e também da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa). Segundo Alves, a demolição deverá ser feita ainda esta semana, para que as escolas possam utilizar os galpões o mais rápido possível. "É uma ordem do prefeito. Assim que a polícia terminar a perícia do local, vamos demolir as estruturas danificadas", disse.

 

Por conta do incêndio, partes do teto e paredes dos barracões desabaram. Em todos os barracões, a estrutura dos pavimentos superiores ficou comprometida. A vistoria foi feita por seis engenheiros da Defesa Civil. Entretanto, o órgão frisou que foi uma vistoria preliminar e mais áreas dos barracões podem ser demolidas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.