Passageiro agradece atendente por não ter entrado no vôo 3054

Bancário entrega corrente com imagem de um anjo à funcionária que lhe ofereceu lugar em outro avião

Elder Ogliari, do Estadão,

27 Julho 2007 | 17h52

Dez dias depois do acidente com o vôo 3054 da TAM, o bancário Gilberto Gomes da Silva, de 30 anos, procurou a funcionária da TAM que lhe ofereceu lugar em outro avião. Nesta sexta-feira, 27, Silva fez um agradecimento e entregou a ela uma correntinha de ouro com um pingente com a imagem de um anjo. O encontro foi reservado, em uma sala do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.   Lista de vítimas identificadas  O local do acidente  Quem são as vítimas do vôo 3054  Histórias das vítimas do acidente da TAM  Galeria de fotos  Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Cronologia da crise aérea  Acidentes em Congonhas  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054   Por entender que seu ato foi rotineiro, característico da função, e por estar ainda abalada pela perda de diversos colegas, a atendente do check-in Tatiane não quis ser fotografada e nem falar com a imprensa.   Ainda perplexo com tudo o que viveu, Silva atribuiu o fato de estar vivo a Deus e disse que Tatiane se tornou seu anjo, não porque tivesse agido deliberadamente para salvá-lo, mas porque foi gentil e atenciosa. "Eu já havia feito o check-in para embarcar no vôo 3054 (marcado inicialmente para às 16h55min) mas ela me ofereceu a possibilidade de ir antes, no vôo 3052 (às 13 horas), para não ficar esperando no aeroporto", contou.   Silva sugere que os passageiros tratem os funcionários das companhias aéreas com mais respeito. "Eles são insultados a toda hora; mas a culpa pelo caos aéreo não é deles". Como chegou cedo, Silva hospedou-se num hotel em Osasco, onde tinha reunião de trabalho no dia seguinte. Estava assistindo o Pan-Americano pela televisão quando foi avisado do acidente por colegas e descobriu que havia escapado da tragédia.   Tratou de ligar logo para a mãe, a irmã e a namorada, que moram em diferentes cidades do interior do Rio Grande do Sul. As três já estavam desesperadas, porque não sabiam da troca do vôo. "Fui salvo pelo gesto de alguém que se preocupou com o bem-estar de um passageiro", comenta, impressionado por mais uma coincidência: tanto ele quanto a funcionária da TAM fazem aniversário no dia 23 de maio.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054 mortos no vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.