Passageiro antecipa vôo e morre em acidente da TAM

Quando conseguiu um lugar no vôo JJ 3054 da TAM, o técnico em eletrônica Marcelo Stelzer esperava chegar mais cedo em casa para comer uma sopa "caprichada" com a mãe. Stelzer, 39, acabou sendo um dos 162 passageiros que embarcaram em Porto Alegre pouco depois das 17h com destino a São Paulo na terça-feira. O Airbus A320 da TAM, ao tentar aterrissar na pista molhada do aeroporto de Congonhas, atravessou uma avenida movimentada, se chocou contra prédios e um posto de gasolina e pegou fogo. Um total de 186 pessoas estava a bordo da aeronave envolvida no pior acidente aéreo do país. "Ele ia sair de Porto Alegre no vôo das 19h30, mas terminou o trabalho mais cedo, foi para o aeroporto e encontrou uma vaga nesse vôo", disse Vicente Carvalho, tio de Marcelo, que morava em São Paulo e estava em Porto Alegre a trabalho. "Quando ele conseguiu entrar no vôo, ligou para a mãe, dizendo que ia chegar mais cedo e que queria tomar uma sopa com ela. Mandou caprichar", afirmou o tio, acrescentando que o técnico em eletrônica costumava viajar ao menos quatro vezes por semana e não tinha medo de voar. Segundo o tio, a família não recebeu telefonema da empresa e ficou sabendo pela imprensa do acidente. "Ficamos até as 2h da manhã ligando para a empresa, mas eles não davam nenhuma informação. Hoje mudou, estão nos tratando direito", disse ele na saída do Saguão das Autoridades do aeroporto de Congonhas. "Era um menino de muito potencial... não merecia terminar assim." Carvalho ainda não sabia se o corpo de Marcelo já havia sido retirado dos destroços do avião. Até a tarde desta quarta-feira, equipes de resgate retiraram 165 corpos do local do acidente.

MAURÍCIO SAVARESE, REUTERS

18 Julho 2007 | 17h12

Mais conteúdo sobre:
MANCHETES ACIDENTE VITIMAPARENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.