Passageiros antecipam check-in, mas movimento é calmo

A partir desta segunda, Aeroporto de Cumbica recebe 64 vôos que operavam em Congonhas

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

30 Julho 2007 | 08h43

Passageiros que precisavam embarcar no Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, na manhã desta segunda-feira, 30, resolveram adiantar o check-in em até três horas, segundo informações da Rádio CBN. Com grandes filas, passageiros esperavam até 50 minutos nos balcões da Gol e da TAM. Apesar das filas, o clima era de tranqüilidade em Cumbica.    Jobim tem primeira reunião com Conac nesta segunda Crise atinge Aeroporto de Cumbica Cumbica fez vizinhança adensar Jobim vai criar gabinete de crise   Nesta segunda começa a vigorar definitivamente a transferência de 64 vôos da TAM e da Gol de Congonhas para Cumbica. Apesar disso, a partir desta segunda, as empresas aéreas podem voltar a vender passagens que tenham como destino ou partida o aeroporto de Congonhas. A venda havia sido proibida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no dia 25 e vigorou até domingo, 29.   Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), a situação era calma nos aeroportos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Em Cumbica, até às 8 horas, dos 55 vôos previstos, nove sofreram alteração de horário e um vôo foi cancelado.   No Aeroporto de Congonhas, entre 6 e 7 horas, dos 12 vôos programados, nenhum teve atraso superior a uma hora e não foram registrados cancelamentos. Por motivo de queda de sistema da Infraero no aeroporto, não foi divulgado o balanço das 8 horas.   No Rio de Janeiro, a situação era tranqüila nesta manhã. No Aeroporto Tom Jobim, cinco pousos estavam atrasados e as decolagens eram feitas no horário programado. Já no Aeroporto Santos Dumont, as cinco decolagens e três chegadas entre São Paulo e Rio foram canceladas. Apenas uma partida apresentou alteração de horário.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea Infraero Congonhas Cumbica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.