Passageiros enfrentaram demora de até quatro horas

Os novos atrasos que atrapalharam a vida dos passageiros nos principais aeroportos brasileiros entre domingo e segunda-feira, 13, causaram filas principalmente à noite e pela manhã. À tarde, a situação era de tranqüilidade. Os casos extremos foram de esperas de até quatro horas. Foi o que aconteceu com três vôos, duas chegadas e uma partida,no Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, de anteontem à noite até a tarde de ontem. O mesmo se deu no Aeroporto dos Guararapes, em Recife, com o vôo 1717, da Gol, que decolou quatro horas após o previsto com destino a Guarulhos.Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), a média de espera em Recife foi de uma hora e atingiu 19 vôos, dez chegadas e nove partidas, e apenas pela manhã. A situação mais complicada, de um vôo da Gol originário de Manaus que atrasou 12 horas, foi creditada a problemas de manutenção do avião. No Rio, os vôos no Aeroporto Internacional tiveram média de 3 horas e 18 minutos de atraso. Dos 95 programados, 50 atrasaram e 11 foram cancelados. O medo de que se repetisse o caos do fim do mês de outubro e início de novembro levou muita gente a chegar com antecedência ao aeroporto à tarde, mas o movimento foi tranqüilo.A Infraero no Rio informou que a partir desta terça-feira, 14, mudará a metodologia do balanço e passará a divulgar casos específicos de atraso, e não apenas a média dos vôos. ?Se todos os vôos tivessem atrasado 3 horas, haveria um caos, e não foi o caso. Houve atrasos corriqueiros e um ou outro maior que puxam a média para cima?, informou a assessoria de imprensa da empresa. O levantamento da Infraero leva em conta apenas os adiamentos mais significativos. Se fossem incluídos os pequenos atrasos, poucos dos 120 vôos com origem ou destino no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, teriam ficado de fora. Às 18h30, por exemplo, o painel mostrava chegadas de São Paulo com 25 e 53 minutos de atraso, e ainda três saídas para Congonhas com demoras de 50, 23 e 20 minutos. Esses cinco casos, porém, não constam do balanço da Infraero. Para a empresa,merecem registro na capital gaúcha apenas oito chegadas e cinco saídas de vôos que tiveram atrasos próximos ou superiores a uma hora.Nos demais aeroportos, foram consideradas exceções aquelas em que vôos demoraram três ou duas horas para chegar ou partir (caso do Aeroporto Internacional de Salvador, com 13 atrasos entre manhã e tarde). As outras médias divulgadas pela Infraero foram de 40 minutos (no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, região metropolitana de Belo Horizonte), e 34 minutos (no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba).Angela Lacerda, Eduado Kattah, Liege Albuquerque , Evandro Fadel, Elder Ogliari, Felipe Werneck e Tiago Décimo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.