Passageiros invadem a pista em Cumbica após overbooking

Bilhete de embarque nas mãos, bagagens despachadas e já dentro do ônibus, aos pés da escada da aeronave, em torno de 40 passageiros são surpreendidos com a notícia de que não haveria lugar para todos no avião. Inconformados, dois deles forçam a porta do ônibus, correm para a escada e embarcam. O piloto fecha a porta do avião - outros passageiros estão entre a pista e a aeronave, decidindo o que fazer. A empresa aérea finalmente informa que apenas dez pessoas que estavam no ônibus poderiam viajar - e sugere que os passageiros escolham os beneficiados. Apenas uma passageira, idosa, aceita subir à aeronave. Os demais têm sua partida reprogramada para quatro horas mais tarde.A cena do relato acima aconteceu por volta das 15 horas desta quarta-feira, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, com passageiros do vôo 3508 da TAM, que deveria ter partido às 13h20 rumo a Recife. A companhia não fala em overbooking, a venda de passagens superior ao número de assentos do avião, alvo de investigação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas confirma que 38 pessoas não puderam pegar o 3508. A TAM ainda afirma, em nota, que providenciou jantar e créditos (R$ 500) para a compra de passagens.Entre os 38 que tiveram de voltar para o terminal de embarque de Guarulhos, há relatos de que um funcionário da TAM contava quantas pessoas estavam entrando no avião até que, de repente, impediu que parte delas embarcasse. ?Simplesmente fecharam a porta na nossa cara?, contou o comerciante Antônio Carlos Manoel, de 40 anos. Quatro agentes da Polícia Federal foram até a pista convencer os passageiros a voltar para o salão de embarque. Passageiros acusaram os policiais de terem ameaçado de prisão quem se recusasse a voltar ao terminal. Os 38 retornaram, indignados com a companhia aérea. ?É difícil acreditar em tanto descaso?, afirmou o administrador de empresas Marcos Ueda, de 27 anos.Acompanhado da namorada, a fisioterapeuta Ana Claudia e Silva, de 22 anos, Ueda era um dos mais indignados: iria embarcar para Recife às 9 horas, mas foi remanejado para um vôo das 11 horas e realocado para o vôo das 13h20 - segundo Ueda,por causa do overbooking. ?Como podem dizer que não estão fazendo isso??.Também nesta quarta-feira, só que em Congonhas, na zona sul de São Paulo, o médico Álvaro Adala pegou um vaso que enfeitava o balcão da TAM e o atirou contra os funcionários. Ninguém ficou ferido. Adala ficou irritado ao chegar às 13h55 e receber a notícia de overbooking no vôo 3454 da TAM para Salvador com escala em Ilhéus, com partida às 14h25. ?Aconteceu isso na semana passada quando estava em Brasília, também venderam meu lugar no vôo.? Três policiais militares se aproximaram do balcão da TAM. Os funcionários, apesar de assustados, continuaram a atender. A passagem de Adala foi transferida para as 20h30.Contraditoriamente, o vôo 3027 da TAM, de Congonhas para Joinville (SC), que deveria sair às 18h10, foi remarcado para as 20h15, por falta de passageiros. ?Não esperava por isso. Pensava que poderia não embarcar por haver muita gente procurando passagem?, disse Rafael Costa, de 25 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.