Passagem de comitiva e acidentes complicam trânsito em SP

Os bloqueios momentâneos para a passagem da comitiva do presidente norte-americano George W. Bush e três acidentes com motos complicaram o trânsito no início da tarde desta sexta-feira, 9. Às 13h30, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 52 quilômetros de lentidão, índice acima da média para o período, que é de 41 km. (Veja no especial ao lado o roteiro das visitas de Bush e as regiões prejudicadas).O pior trecho estava no corredor norte-sul, formado pelas avenidas Rubem Berta, 23 de Maio e Moreira Guimarães, em direção ao Aeroporto de Congonhas, onde o motorista reduzia a velocidade por cerca de 4,5 quilômetros, entre os viadutos Santa Generosa e Indianópolis. Também havia problemas na Avenida Ibirapuera, sentido Bairro, entre a Avenida 23 de Maio até a Avenida dos Bandeirantes, cerca de 3,5 km. Pela Avenida Paulista, sentido Paraiso, havia 2,5 km de lentidão entre a Avenida Doutor Arnaldo até a Praça Oswaldo Cruz. AcidentesNa Marginal do Tietê, sentido Penha-Lapa, junto à Ponte do Tatuapé, uma colisão entre um caminhão e um motociclista causou a morte de uma pessoa e ocupava duas faixas da direita da via, o que causava lentidão.Em outro caso, uma pessoa ficou ferida após cair da moto, também na Marginal do Tietê, mas no sentido contrário, Lapa-Penha, próximo à Ponte da Casa Verde. Já na Marginal do Pinheiros, o acidente aconteceu 500 metros antes da Ponte Cidade Jardim, no sentido Interlagos. Duas das sete faixas da pista permaneciam interditadas. Comitiva do BushA Marginal do Tietê, sentido Penha-Lapa, e a Avenida 23 de Maio, sentido zona sul, foram bloqueadas por alguns minutos volta das 12h45 para a passagem da comitiva de cerca de 40 veículos do presidente norte-americano George W. Bush que retornou de Guarulhos, na Grande São Paulo, após encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O trânsito também permanecia interditado na Avenida Luís Carlos Berrini e ruas próximas ao Hotel Hilton, na zona sul, onde Bush está hospedado e irá almoçar com o o presidente Lula.À tarde, após reunir-se com Lula, Bush vai visitar o projeto social Meninos do Morumbi. À noite, Bush volta a Guarulhos, onde pega o avião no Aeroporto Internacional de São Paulo para seguir viagem ao Uruguai. Todas as rotas devem ser cumpridas por terra e as vias por onde ele passará terão de ser fechadas.Os bairros mais atingidos pelas interdições e bloqueios devem ser Brooklin, Chácara Santo Antônio, Cumbica, Jardim Paulista, Morumbi, Pinheiros e Vila Madalena. Na Bela Vista, região central da cidade, também poderá haver interdições, já que lá fica o Hospital Sírio Libanês, que vai ficar de prontidão para qualquer emergência com Bush.Nesta sexta-feira, a União Nacional dos Estudantes (UNE) promete reunir até 600 manifestantes para seguir o presidente Bush, de microônibus, por onde ele passar. Primeira-dama Laura Bush, primeira-dama dos Estados Unidos, tem compromissos marcados para esta sexta-feira que podem atrapalhar o trânsito da cidade. Pela manhã, ela visitou a sede do projeto social Alfabetização Solidária, nos Jardins. Durante à tarde, ela deverá visitar a ONG da Cidade Escola Aprendiz, na Vila Madalena. Por motivos de segurança, as ruas por onde a primeira-dama passar também vão ser bloqueadas. Com isso, ela também deve ficar longe das manifestações programadas contra a presença de seu marido ao País. Texto atualizado às 13h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.