Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Passagem de meteoro é registrada no interior de SP e intriga moradores

Corpo rochoso se fragmentou e gerou uma espécie de 'bola de fogo' ao chegar na atmosfera

Chico Siqueira, Especial para O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2013 | 17h31

ARAÇATUBA - Uma 'bola de fogo', que cortou o céu em alta velocidade, por volta das 23h30 de quarta-feira, 23, encantou moradores de diferentes regiões do Estado de São Paulo e se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. O fenômeno foi registrado por moradores de Andradina, Jaboticabal, Bauru, Penápolis, e Tanabi, que postaram vídeos e discutiram o assunto na internet.

O professor Rodolfo Langhi, diretor do Observatório Didático Astronômico, da Unesp, de Bauru, analisou diversos vídeos com as imagens e chegou à conclusão que se trata de um meteoro, ou, menos provável, de lixo espacial, que em contato com gases, e devido à alta velocidade, sofreu um atrito muito forte, se incendiou e se desintegrou na atmosfera. "Trata-se de um bólido, um corpo rochoso, um meteoro com grande intensidade de brilho e fragmentação do corpo", diz. "É menos provável, mas também pode ter sido um satélite ou lixo espacial". Um dos vídeos tem mais de 10 segundos de duração. Nele, o meteoro, registrado em Andradina, aparece já com uma espécie de cauda, resultado da fragmentação.

A passagem da "bola de fogo" fez a alegria de quem a presenciou. "Estava na frente de casa, conversando com amigos, quando vimos a bola céu. Foi uma surpresa e tanto, contou o estudante João Victor Freitas, 16 anos, morador em Andradina. "A bola tinha uma cauda e por isso achamos que pudesse ser um cometa", disse.

Mas, segundo Langhi, não se trata da passagem do cometa ISON, prevista para ocorrer no Brasil, a partir de final de outubro e início de novembro, quando poderá ser visto a olho nu por alguns dias. Segundo Langhi, o meteoro passou a uma distância máxima de 100 quilômetros da terra, enquanto o cometa estará a 9 milhões de quilômetros de distância e por isso, aparentemente, estará em menor velocidade.

Mais conteúdo sobre:
meteoro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.