Passagem de ônibus aumenta no ABC nesta 3ªF

Santo André e São Bernardo do Campo passam a cobrar, a partir desta terça-feira, R$ 1,75 pela tarifa dos ônibus municipais. Desde sábado, Diadema adotou valor igual. Nas três cidades do ABC paulista, a passagem custava R$ 1,40, mesmo preço adotado na capital desde abril de 2001, quando a prefeita Marta Suplicy (PT) determinou o primeiro reajuste de sua gestão.Diadema foi a primeira a cobrar o novo valor da passagem. Na planilha apresentada pelos empresários que operam o sistema foi proposto R$ 1,91, coincidentemente o mesmo valor que as empresas que atuam em São Paulo sugeriram à Prefeitura paulistana. Em São Bernardo, as viações pediram R$ 1,92."Fizemos um estudo e chegamos a R$ 1,79. Por causa da situação do País, sugerimos ao prefeito R$ 1,75", disse o presidente da Empresa de Transportes Coletivos (ETC) de São Bernardo, Odilon Soares de Oliveira. As empresas acataram o valor e se comprometeram a colocar mais 32 microônibus no sistema e 15 veículos articulados, dos quais 8 serão híbridos (menos poluentes).Em Santo André, a Empresa Pública de Transportes (EPT) chegou ao valor de R$ 1,77. Na região do ABC, é praxe os prefeitos trocarem idéias e buscarem consenso em vários assuntos, como a tarifa de ônibus. "Muitos passageiros rodam nos sistemas de mais de uma cidade. É uma tradição os prefeitos conversarem, pois as cidades são muito parecidas", explicou o superintendente da EPT, Epeus Monteiro.Segundo o estudo de Santo André, o óleo diesel subiu 50,06% nos últimos 24 meses, período em que os empresários do sistema se comprometeram a ficar sem reajuste tarifário. Outras cidades da região, como Mauá, Ribeirão Pires e São Caetano do Sul, também estudam o novo valor da passagem de ônibus. Em São Paulo, a Secretaria Municipal de Transportes ainda analisa as planilhas apresentadas pelos empresários e não definiu o valor da tarifa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.