Passaporte novo atrasa a viagem de crianças

O novo modelo de passaporte comum brasileiro, na cor azul, e o período de férias escolares provocaram filas anteontem nas plataformas de embarque internacional do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), como o documento não identifica a filiação do passageiro, os menores que viajavam desacompanhados tiveram problemas no embarque, pois além do passaporte e da autorização dos responsáveis, autenticada em cartório, a Polícia Federal precisou checar a paternidade dos pequenos turistas - por meio de certidões de nascimento ou documento de identidade.A Superintendência da PF alega que as filas não podem ser justificadas apenas pela falta da informação no passaporte. A exigência da autorização e da cédula de identidade ou certidão de nascimento não é novidade. Mas problemas de embarque de menores em viagens internacionais com o antigo documento, na cor verde-oliva, que trazia o nome dos pais, não eram tão frequentes, segundo a Infraero. A PF alega apenas que a filiação e outras informações, que não estão impressas no documento atual, podem ser acessadas via sistema informatizado, em caso de necessidade, pelos policiais. Também não há previsão de alterações no passaporte azul.A Infraero também atribui as filas na quinta-feira passada ao horário de "pico" dos embarques internacionais - das 17h às 23h - e à alta temporada de viagens turísticas. O novo modelo de passaporte começou a ser emitido em dezembro de 2006. Além da mudança de cor, padrão estabelecido pelo Mercosul, o documento traz 16 novidades tecnológicas que dificultam a falsificação. Entre elas: código de barras bidimensional, papel com fio de segurança, marca d?água e papel reativo a produtos químicos , entre outras. O custo de emissão também foi alterado e passou de R$ 89,10 para R$ 150. ICAOPor se enquadrar nas normas de segurança estabelecidas pela Organização de Aviação Civil Internacional (Icao, na sigla em inglês), o passaporte azul tem maior aceitação fora do País. O prazo de validade do documento continua de cinco anos, mas, segundo a Polícia Federal, o passaporte verde-oliva ainda é aceito e só precisará ser substituído quando o prazo de validade expirar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.