Passaporte pela internet

Carta 19.622A criação de mecanismos ágeis de atendimento ao público pela internet para o requerimento e obtenção do novo modelo de passaporte, torna-se um obstáculo intransponível sem a ajuda de despachante. O site www.dpv.gov.br demora para abrir; quando está acessível, aparece uma janela pedindo para baixar um executável de segurança. Após preencher o requerimento, tem-se de copiar um código alfanumérico; quando ele aparece, copia-se a série - mas se recebe a info de que ela não confere. Quando se consegue enviar os dados e pagar a guia de recolhimento no Banco do Brasil, tem-se de marcar data e hora para a coleta de dados numa unidade da Polícia Federal para tirar foto e impressões digitais, mas todas as unidades indicadas não têm data disponível nos próximos meses. Assim, sugerem ir à Superintendência Regional e dão um n.º de telefone que não atende e um e-mail que não responde. E os despachantes, que têm horários reservados, cobram R$ 650! GISELLE WELTERSanto AmaroA Polícia Federal responde:"A leitora informou que, seguindo a orientação do site, foi ao Núcleo de Passaportes da Delegacia de Imigração, onde foi atendida mesmo sem marcar visita. Com ref. ao e-mail e telefone, enviamos cópia à superintendência, para conhecimento e adoção de medidas."SINOMAR NETO - Div. PassaportesA leitora foi atendida no dia 8 e retirou o passaporte no dia 15. A PF busca coibir os abusos dos despachantes, e sugere que eles não sejam chamados. Carta 19.623Eleição italianaSou ítalo-brasileiro e a lei permite que eu vote nas eleições da Itália. O consulado deveria enviar o material de votação, mas, como tardassem, enviei e-mail pedindo explicações. Responderam que se eu não recebesse o material até 30/3 deveria ir ao consulado para pedir um ?duplicado?, a ser entregue ?com expressa autorização da Itália?. Moro no interior, e meu trabalho não me permite ir ao consulado. Se eles extraviaram os papéis, não cabe a mim pedir cópia. O telefone específico para as eleições encaminha para dois outros números, que não respondem. Nas últimas eleições, os votos estrangeiros foram decisivos para a derrota do candidato Berlusconi.JORGE SIDNEY COLI JUNIORCampinas/SPCarta enviada ao consulado no dia 2, e não respondida. Carta 19.624Documentos perdidosPeço que o Consulado de Portugal explique o que está ocorrendo comigo. Sou filha de pai e mãe portugueses, neta e sobrinha. Toda a família é portuguesa. Minha irmã fez pedido de cidadania e, após longa espera, conseguiu-a. Resolvi então pedi-la também, achando que seria fácil, uma vez que toda a documentação de comprovação estava pronta, mas me enganei. Tive de começar da estaca zero, comprovando novamente a morte do meu pai (que já tinha baixa em Portugal, segundo os documentos enviados por minha irmã, mas eles diziam que não havia comprovação nenhuma). Levei um bom tempo para conseguir toda a documentação (que não pode exceder 6 meses), pagando em euros. Após idas e vindas a documentação foi aprovada, e recebi aviso pedindo para aguardar, que eles entrariam em contato. Esperei um ano, e nada! Telefonei, e o atendente disse que o processo ?acabara de chegar de Portugal e estava na mesa do sr. cônsul para análise?. E em uma semana eu seria chamada para a entrevista. Dois meses se passaram, e de novo nada! Liguei novamente, e disseram que não havia nenhum processo em meu nome e eu teria de recomeçar. O que devo fazer? MARIA DE LOURDES ALVARENGAJardim AmpliaçãoO consulado responde: "O e-mail foi encaminhado para o setor encarregado, que levantou os antecedentes e constatou que a cidadã já teria enviado o pedido de nacionalidade, mas que o processo foi devolvido para que ela regularizasse a situação do pai, que estava falecido, para só então dar entrada no pedido. Como ela enviou o processo de transcrição do óbito do pai, achou que na mesma hora o pedido de nacionalidade estaria resolvido, mas são processos separados. A cidadã foi contactada por telefone e recebeu as devidas explicações."A leitora replica: Peço que o consulado informe o que aconteceu com a documentação que mandei vir de Portugal (identidade, certidão de nascimento e RG de minha mãe), pois perdi dois dias para tirá-la. O consulado respondeu apenas à coluna no dia 9/3, livrando-se de toda responsabilidade.Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.