Passeata contra a violência reúne 300 pessoas no Rio

Apesar da chuva, que durou toda a madrugada e a manhã de hoje), cerca de 300 pessoas acompanharam a passeata de protesto contra a violência no Rio, que percorreu os dois quilômetros da orla carioca entre o Leblon e o Arpoardor, na zona sul. Foi a segunda manifestação desse tipo desde a morte, há três semanas, do jornalista Tim Lopes, preso, torturado e executado por traficantes da favela Vila Cruzeiro, no Complexo do Alemão. Desta vez, a passeata foi pontuada por protestos contra o poder paralelo dos bandidos na cidade, feitos por parentes de desaparecidos. Ao final da passeata foi celebrado um ato ecumênico e cantado o Hino Nacional.A polícia do Rio ainda não encontrou o corpo do jornalista, que fazia uma reportagem sobre um baile funk na favela que seria utilizado como base de prostituição de meninas e adolescentes e ponto de venda e consumo de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.