Passeata de estudantes segue para a Av. Paulista

Os estudantes já liberaram o cruzamento entre as ruas Alvarenga e Afrânio Peixoto, nas proximidades da Universidade de São Paulo (USP), no Butantã, zona oeste de São Paulo. No início da manhã, eles bloquearam a área em solidariedade aos trabalhadores que estão protestando hoje contra a flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) em todo o País.Os estudantes realizaram uma assembléia e decidiram sair em passeata até a Avenida Paulista. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os manifestantes seguem pela Avenida Vital Brasil.CongestionamentoA garoa e as manifestações realizadas nesta manhã pela CUT e por estudantes contra o projeto de lei que prevê a flexibilização da CLT provocaram o quarto maior congestionamento do ano no período da manhã. A CET registrou 120 quilômetros de congestionamento às 9 horas. Os corredores mais prejudicados foram as Avenidas do Estado, Rebouças, Eusébio Matoso, Professor Francisco Morato e as Marginais do Pinheiros e do Tietê.CampinasCampinas também foi palco esta manhã de uma série de manifestações, comandadas por estudantes e trabalhadores contra as mudanças na CLT. Segundo informações das polícias militar e rodoviária, cerca de mil operários da Singer protestam em frente à fábrica que fica no Distrito Industrial de Campinas, na rodovia Santos Dumont. O trânsito está complicado no local.Funcionários da indústria química Rodhia, que fica na divisa entre Campinas e Paulínia, também estão paralisados em protesto. Em frente à Prefeitura de Campinas, cerca de 300 estudantes estão mobilizados e a expectativa é de que o número de pessoas aumente.O movimento faz parte da mobilização que acontece em diversas regiões do Estado promovida pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) contra as propostas de mudanças na CLT, que já foram aprovadas pela Câmara dos Deputados e aguardam a votação do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.