Passeata de trabalhadores da construção civil gera confusão em Fortaleza

Homem foi agredido a pedradas por outros operários, porque se recusou a aderir ao protesto

Carmen Pompeu, O Estado de S. Paulo

12 Abril 2012 | 19h28

FORTALEZA - Mais de três mil trabalhadores da construção civil participaram, nesta quinta-feira, 12, de uma passeata pelas ruas de Fortaleza. Eles reivindicam 17% de reajuste salarial, R$ 80 de cesta básica, plano de saúde e melhorias nas condições de trabalho. Os empresários oferecem apenas 6,5% de aumento. Durante a passeata, houve confusão entre os próprios trabalhadores ao tentarem a adesão de operários que quiseram participar do ato.

A manifestação saiu da avenida Santos Dumont e foi até o Parque do Cocó. Em um canteiro de obras localizado no cruzamento das avenidas Engenheiro Santana Júnior com Padre Antonio Tomás, um operário, identificado como Etiniene Henrique, ficou ferido durante um conflito com os manifestantes.

O trabalhador foi agredido a pedradas por outros operários, porque se recusou a aderir à passeata.

Uma nova rodada de negociações entre empresários e operários está marcada para esta sexta-feira, 13. Os trabalhadores decidiram marcar para o dia 25 deste mês uma assembleia. Se não houver acordo até lá, eles deflagrarão greve geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.