Passeata pela paz reúne 2 mil pessoas em S. Bernardo

Cerca de duas mil pessoas, entre elas estudantes, professores e funcionários da Escola Estadual Professor Domingos Peixoto da Silva, localizada em São Bernardo do Campo, fizeram nesta terça-feira uma passeata pela paz. No último domingo, o adolescente R., de 16 anos, assassinou com quatro tiros o aluno Cleber Almeida do Carmo, de 13. O jovem estava apaixonado pela namorada da vítima e ficou enciumado quando soube do romance dos dois.Carregando pequenas bandeiras com a palavra ?paz?, os manifestantes saíram da escola às 8 horas e foram até a casa de Cleber, onde o corpo estava sendo velado. ?Foi uma comoção?, disse o vice-diretor da escola, Sérgio Paulo de Almeida. O estabelecimento fica no bairro Alvarenga, uma região pobre na periferia de São Bernardo, onde a falta de segurança faz parte da rotina. ?Os problemas na escola refletem a violência da área?, afirmou.De acordo com ele, as três famílias relacionadas ao crime estão chocadas. Cleber e a namorada estavam na mesma classe da 6ª série. R., que está foragido, estudava em outra escola. A Delegacia de Homicídios de São Bernardo investiga o caso.A Escola Professor Domingos Peixoto da Silva tem aproximadamente 3 mil alunos em salas da 5ª à 8.ª série do ensino fundamental, 1º ao 3º ano do ensino médio e cursos supletivos.Outro caso de violência envolvendo um estudante ocorreu no último sábado em Mauá, na Grande São Paulo. O menor A.H.G.R, de 16 anos, atirou no zelador da Escola Estadual Clorinda Ciampitti Perrella, José Carlos de Souza, na frente de um bar.O adolescente estudava no local, e os dois desentenderam-se há algumas semanas. Segundo a polícia, há três versões para a causa da briga: A. teria sido flagrado pelo zelador namorando na escola, bebendo ou usando drogas. Souza encontrou o menor na tarde de sábado em um bar, e os dois discutiram novamente. O zelador resolveu ir embora, mas A. o seguiu.Quando passava na frente de outro bar, o adolescente disparou. Souza está em coma na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Diadema. Nesta segunda-feira, passou por uma cirurgia. Depois do crime, o menor desapareceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.