Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso
Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso

Pastor é preso em Cuiabá por suspeita de estupro de menores

Paulo Roberto Alves foi flagrado com duas garotas de 11 e 16 anos; segundo o Boletim de Ocorrência, ele pagou R$ 150 às meninas

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

14 Abril 2017 | 11h25

SÃO PAULO – O pastor e ex-candidato a vice-prefeito de Cuiabá (MT) pelo partido PSD, em 2012, Paulo Roberto Alves, de 52 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar, por suspeita de estupro de vulnerável e favorecimento à prostituição de uma criança de 11 anos e uma adolescente de 16 anos, na noite de quarta-feira, 12. Ele foi encaminhado para o Centro de Custódia da Capital (CCC) na quinta-feira, 13, onde permanece detido.

Após audiência de custódia, o juiz decretou a prisão preventiva de Alves. O delegado plantonista CláudioVítor Freesz, da 2ª Delegacia de Polícia (DP) de Cuiabá, pediu a perícia do celular de uma das garotas. O aparelho será encaminhado aos responsáveis na segunda-feira, 17.

Segundo o Boletim de Ocorrência de número 2017.124592 (BO), a guarnição realizava ronda pelo bairro Jardim Itália, quando os policiais avistaram um veículo Toyota Hilux da cor preta deixando duas garotas menores de idade perto de um matagal, em uma rua nas proximidades da Avenida das Torres. A equipe tentou abordar o condutor. O BO diz que, quando percebeu que estava sendo acompanhado pela guarnição, Alves fugiu em alta velocidade seguindo rumo à Avenida Itália. Os policiais, então, retornaram ao local e encontraram as duas menores na Avenida das Torres, em um ponto de ônibus. Elas tinham R$ 150. No mesmo momento, outros policiais foram até a residência das meninas, no bairro Pedra 90, mas não localizaram os responsáveis pelas garotas. As vítimas disseram que foram levadas para a casa do suspeito, onde ficaram no mesmo quarto.

A menor de 16 anos relatou que conheceu o suspeito há alguns dias e já teve relação sexual com ele. Ela disse que recebeu uma ligação de Paulo Roberto Alves em que ele disse que queria sair com ela e com a sobrinha dela de 11 anos. Segundo a ocorrência, o pastor teria pago R$ 100 para a mais velha e R$ 50 para a mais nova.

A vítima de 16 anos também informou que recebeu uma ligação do suspeito em seu celular depois que a PM passou pelo local, pedindo para ela não relatar o ocorrido em troca de R$ 200.

Outro lado. Procurado pelo Estado, Paulo Roberto Alves não foi encontrado. Em vídeo divulgado pelo site Mato Grosso Mais, na quarta-feira, o pastor alegou inocência e disse que não cometeu o abuso.

Mande sua notícia - Quais problemas você enfrenta no trânsito e no caminho para o trabalho? O metrô parou? Viu uma manifestação na cidade? Presenciou um acidente ou algo inusitado? Fotografou ou filmou um fato e quer compartilhar? Os usuários de WhatsApp podem agora usar o aplicativo para colaborar com o Estado. Envie vídeos, fotos ou apenas o seu relato ou ideia de pauta pelo número (11) 9-7069-8639. Suas sugestões serão apuradas por um repórter e podem ajudar as pessoas. Participe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.