Pastor é preso por forjar o próprio seqüestro

O pastor evangélico Marcelo Lacerda Botelho foi preso hoje à tarde quando tentava forjar o próprio seqüestro. O flagrante aconteceu em uma agência do Banco do Brasil, em Taubaté, no Vale do Paraíba. Segundo a polícia, o pastor estava desaparecido desde sábado, da cidade de Ipatinga (MG), onde morava com a família. Na simulação do seqüestro, ele exigia um resgate de R$ 25 mil. As ligações à família eram feitas por ele mesmo, de um hotel, onde o pastor ficou hospedado em Taubaté. Comovidos com o crime, a família e os evangélicos do interior de Minas Gerais fizeram uma campanha para arrecadar o dinheiro e depositaram a quantia na última quarta-feira. A Delegacia Anti-Seqüestro de Minas Gerais auxiliou a família nas buscas e descobriu que o resgate teria que ser pago com um depósito na conta-corrente do próprio pastor. Todas as agências do Banco do Brasil do Vale do Paraíba - de onde as ligações foram rastreadas - foram previamente instruídas para que chamassem a polícia caso a conta-corrente fosse acionada. Hoje à tarde o pastor chegou à agência de Taubaté, acompanhado de três outras pessoas, em um veículo branco. Enquanto o pastor tentava sacar o dinheiro, a polícia foi acionada, o que possibilitou o flagrante. Quando os policiais militares chegaram à agência, os homens que acompanhavam a suposta vítima fugiram. "Foi um corre-corre, ninguém entrava, ninguém saía e ninguém sabia o que estava acontecendo. Foi horrível. Um susto e tanto", relatou uma comerciante que não quis se identificar. De acordo com informações passadas pela família à polícia, o pastor havia chegado de Portugal, onde trabalhava para a Igreja do Reino de Deus, há 15 dias. Ele vai responder por extorsão e ficará detido no Centro de Detenção Provisória de Taubaté.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.