Pastor Feliciano também ataca negros e gays

Jair Bolsonaro (PP-RJ) não é o único deputado a causar polêmica sobre o assunto. O Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) usou o Twitter para dizer que "os africanos são amaldiçoados". "Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato", escreveu ontem. "A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas!"

Eduardo Bresciani, O Estado de S.Paulo

01 Abril 2011 | 00h00

Em entrevista ao "Estado", o deputado reafirmou as frases publicadas na internet. "O problema do continente africano é espiritual e se vence com oração. Isso poderia ter acontecido com outro continente, mas foi lá. Eu apenas citei um texto que é teológico para quem quiser aprender. O resto é maldade das pessoas." Ele garante que a afirmação vem de um conhecimento teológico e nega ser racista.

Feliciano fez também ataques a homossexuais. "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, a rejeição", diz em um dos posts. Ele afirmou que respeita os homossexuais, mas diz que é contra a promiscuidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.