Pastoral Carcerária vai a prisões

Integrantes da Pastoral Carcerária de São Paulo e de entidades de defesa dos Direitos Humanos vão visitar nesta sexta-feira seis presídios do Estado para tentar acertar um acordo de paz com os detentos durante o carnaval. Em cartas, eles pediram que o governo estadual liberasse as visitas neste fim de semana, caso contrário o sistema poderia enfrentar outro motim. Os agentes penitenciários defendem a manutenção da proibição. Eles temem que possa ressurgir neste fim de semana a rebelião da massa carcerária. "Existem funcionários que estão pedindo licença e outros que não querem nem voltar para as carceragens nem têm condições psicológicas", disse a agente penitenciária Iara Aparecida de Paula Santos, que trabalha no Presídio do Tatuapé. "Não há mais condições de ficar. Todos os dias trabalhamos como reféns."Nesta quinta-feira, em várias avenidas da cidade, incluindo a Sumaré, na zona oeste, podiam ser vistos cartazes com referências ao PCC e às rebeliões em seqüências ocorridas no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.