Paulinho critica "atos politizados" da CUT

O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, criticou a Central Única dos Trabalhadores (CUT), na festa de 1º de Maio que realiza na cidade. "A CUT continua defendendo o monopólio estatal e a realização de atos muito politizados", disse. As críticas são uma resposta às acusações da direção da CUT, para a qual a festa da Força Sindical foi despolitizada. "Isto é uma festa para o povo brasileiro e não para candidatos a presidente da República", afirmou o presidente da Força.Paulinho não descartou a participação da CUT em eventos futuros, mas condicionou a colaboração à mudança de atitude da outra central sindical. "A CUT deve entender que estamos mobilizando a sociedade toda. Enquanto eles precisam pagar pelas atrações, os artistas vêm aqui de graça", disse.Ele chegou a minimizar o peso da outra central sindical numa eventual parceria. "O ato da CUT, neste ano, é muito pequeno e acrescentaria pouca gente ao nosso", afirmou. Para o dirigente, os ataques da CUT são movidos pela "raiva de quem sabe que está perdendo". Segundo Paulinho, a Força Sindical ganhou pontos junto à sociedade quando participou da negociação para o pagamento dos expurgos do FGTS e manifestou-se a favor da revisão da tabela do Imposta de Renda. "A CUT abandonou todas essas bandeiras", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.