Paulistano se queixa mais da saúde pública

Relatório trimestral da Ouvidoria mostra que problemas com iluminação caíram 53%, enquanto as reclamações em transporte avançaram 200%

Daniel Gonzales, O Estadao de S.Paulo

25 Agosto 2009 | 00h00

A má qualidade do atendimento nos diversos órgãos da Prefeitura de São Paulo, principalmente os da Saúde, liderou, com 717 reclamações, o ranking de queixas recebidas pela Ouvidoria-Geral do Município no segundo trimestre deste ano, conforme relatório divulgado ontem. Campeão histórico das queixas dos paulistanos, o item das falhas na iluminação pública ficou, pela primeira vez em cinco anos, em segundo lugar na lista, com 571 notificações.No total, houve 4.196 ocorrências registradas de abril a junho de 2009. Segundo a Ouvidoria, que atende diretamente pelo telefone 0800-175717, é mantida uma "agenda propositiva" junto a diversos órgãos públicos para o encaminhamento das reclamações. Apesar de liderarem as notificações, as queixas sobre o mau atendimento, conforme a Ouvidoria, permaneceram estáveis na comparação com o segundo trimestre (abril a junho) de 2008, quando foram registradas 718 reclamações. Se levada em conta essa comparação, as queixas sobre iluminação foram as que mais caíram - 53% a menos (de 1.226 para 571) -, enquanto transporte público e jardinagem foram os itens que mais deram dor de cabeça aos paulistanos: tiveram, respectivamente, um crescimento de 200% e 119%. O transporte, que recebeu 71 reclamações de abril a junho de 2008, teve 213 registros em 2009.De acordo com informações da Ouvidoria, das 717 reclamações sobre qualidade no atendimento, 359 se referem à Secretaria da Saúde, seguida pela Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, com 58, e pela São Paulo Transporte (SPTrans), com 56. A Saúde também foi a campeã em outra tabela feita pela Ouvidoria, a de reclamações separadas por órgão municipal: teve 939 ocorrências, frente a 604 da segunda colocada, a Secretaria de Serviços.Por nota, a Saúde informa que liderou as queixas por causa da "elevação da demanda, com a ampliação do atendimento oferecido à população". O órgão informou ainda que "houve aumento no atendimento dos casos de gripe, em virtude da pandemia da gripe A (H1N1)". A secretaria destacou também que, no geral, o número de reclamações caiu em comparação a 2008.SUBPREFEITURASPor região, ainda conforme o relatório da Ouvidoria, a Subprefeitura do Butantã ficou em primeiro lugar nas queixas, com 93 reclamações. Na sequência veio Santana/Tucuruvi, com 92.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.