Paulistanos reformam casas para olimpíada

Entre os pedidos feitos a arquitetos e decoradores estão novos sofás, grandes telões e brunch especial

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

10 Agosto 2008 | 00h00

Há uma turma de paulistanos que entrou no clima da Olimpíada antes mesmo da abertura dos jogos anteontem. Arquitetos e decoradores conhecidos, eles há uma semana começaram uma corrida contra o relógio para preparar a casa de clientes para a temporada esportiva. Receberam encomendas de última hora para instalar novos home theaters, trocar sofás antigos por outros mais largos e confortáveis e até mesmo organizar a decoração de brunches com motivos olímpicos. "Tenho cinco clientes que resolveram reformar a sala de home theater porque queriam equipamentos de maior definição", diz a arquiteta e decoradora Bya Barros. "Como não havia marcenaria envolvida na reforma, deu para aprontar em uma semana." Um de seus clientes transformou a sala de visitas numa de home theater. Investiu R$ 30 mil só em equipamentos. Optou por um sistema de tela fixa de 92 polegadas, que ganhou no espaço status de quadro de arte. "As bordas da tela branca foram arrematadas por um adesivo que imita a moldura de uma quadro de arte", explica Bya. Cinco caixas acústicas foram embutidas no forro de gesso - uma delas, um subwoofer, responsável pelos graves e subgraves . O projetor foi fixado no teto. Todo sistema é preparado para receber o sistema de HDTV, ou seja, de alta definição. Para adequar o equipamento ao ambiente, a sala precisou ser reformada. A parede foi quebrada - e o teto. Algumas pessoas planejaram a reforma com mais antecedência. "Meus filhos são esportistas. Jogam futebol no Clube Pinheiros. E meu marido faz equitação", conta Elaine Minello, que transformou parte da sala num pub para receber os amigos dos filhos, André, de 23 anos, e Felipe, de 28. Um telão de 90 polegadas auto-retrátil passou a dividir os ambientes de bar e de visita. A vantagem é que o equipamento permite a visualização das imagens dos dois lados. "O que mais gostei, no entanto, foi da facilidade de ligar tudo apertando um botão só", diz Elaine, que, como a maioria das donas de casa, não tem muita afinidade com novidades tecnológicas. Além do telão, uma TV de plasma surgiu na parede do pub, que dá para a varanda. Uma forma de ninguém ficar de fora dos jogos. "Reformamos por causa da Olimpíada, mas as mudanças têm tudo a ver com a minha família. Os garotos sempre dão churrasco em casa, em época de campeonato de futebol." A arquiteta Patrícia Martinez também recebeu ligações de clientes preocupados com a olimpíada. O pedido mais inusitado foi o de um solteiro de 30 anos que mora numa casa de 480 metros quadrados na Cidade Jardim, zona sul. "Ele já tem um home theater, mas quer um telão no jardim." Para aproveitar o espaço, Patrícia planejou uma espécie de arquibancada de madeira com estrutura de alumínio, forrada por futons, o que daria mais conforto. "O projeto é mais complexo e já avisei que não dá para aprontar tudo para esta olimpíada." Em Santana, na zona norte, um cliente do escritório Korman Arquitetos resolveu transformar em home theater uma área de circulação de 16 metros quadrados entre os quartos da casa. Detalhe: no salão de festas, de 300 metros quadrados, há um telão de 115 polegadas. "O espaço de festas é muito grande e o cliente queria um ambiente mais íntimo para assistir aos jogos, que começam nas primeiras horas da manhã", explica a arquiteta Karina Korman. O novo home theater ganhou uma TV menor, de apenas 40 polegadas, e um sofá no formato de L para seis pessoas, com apoio para os pés. "Sempre que há campeonatos esportivos, temos demanda maior de trabalho. Não só nas olimpíadas, como também - e mais ainda - em épocas de Copa do Mundo." SOFÁ VERDE E AMARELO "O maior interesse é sempre pelo home theater, em geral, com telas de 100 polegadas", diz a arquiteta Brunete Fracarolli. "Mas houve muita gente animada querendo deixar a casa com clima para os jogos." Brunete encomendou capas de sofás verde com almofadas amarelas, por exemplo, e vice-versa. "Há quem esteja preparando verdadeiras festas com direito a bufê", conta. E a saída são os brunches, que também serão decorados com motivos olímpicos. "A semana passada foi de muita correria. Na última hora, tive de encomendar pratos e copos coloridos. Teve quem quis até bala com papel especial para os jogos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.