Paulo Bernardo classifica dossiê de ´trapalhada desnecessária´

Na tentativa de blindar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro do Planejamento Paulo Bernardo classificou como "uma trapalhada colossal desnecessária" o episódio envolvendo a compra de um dossiê com denúncias que envolveriam candidatos tucanos. Para justificar o que chama de "trapalhada", o ministro cita índices sobre o desempenho de Lula nas pesquisas de intenção de votos.Segundo Paulo Bernardo, o presidente está indignado com o episódio. "E com razão porque ele nunca aceitou a história do uso de dossiês, muito menos numa disputa que está com 50% das intenções de voto", comentou o ministro. Na sua avaliação, nesse clima de denuncismo, um dossiê contra quem quer que seja não iria movimentar nada na campanha de São Paulo e muito menos na campanha nacional. A onze dias das eleições, o ministro do Planejamento decidiu entrar de férias do governo a partir de quinta-feira. O afastamento, na verdade, servirá para ajudar na campanha de Lula, do senador Flávio Arns ao governo do Paraná e de sua mulher, Gleisi Hoffman, ao Senado.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2006 | 17h52

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.