PC do B arma frente ampla no Maranhão

A ideia é promover a união em torno de Flávio Dino ou do [br]ex-governador Jackson Lago, do PDT

Eugênia Lopes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2010 | 00h00

Cinco dias após o PT ter decidido apoiar a reeleição da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), o PC do B resolveu ontem dar o troco e vai tentar formar uma frente ampla de partidos contra a candidatura da peemedebista. A ideia é unir os partidos em torno do nome do deputado Flávio Dino, do PC do B, ou do governador cassado Jackson Lago, do PDT. Ambos são pré-candidatos ao governo maranhense.

"Vamos juntar todas as forças que ficaram de fora da candidatura da Roseana em torno do nome do Flávio Dino ou então de Jackson Lago", afirmou o presidente nacional do PC do B, Renato Rabelo, momentos antes de a convenção nacional do partido ratificar o apoio à candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência. O PC do B exige que a petista suba nos dois palanques que apoiam sua candidatura: no de Roseana e no de Dino.

"O PT nacional avaliou errado que ao retirar o apoio a minha candidatura que eu ia desistir", disse Flávio Dino. Na sexta-feira, o PT nacional enquadrou o PT do Maranhão, obrigando-o a apoiar a candidatura de Roseana. Em março, o PT do Maranhão havia deliberado aliar-se ao PC do B em torno da candidatura de Dino. "A Roseana ficou com a camisa do PT e eu fiquei com a militância petista", observou Dino. Até a convenção do PC do B maranhense, marcada para o dia 26, Dino foi liberado para negociar uma ampla aliança contra a candidatura de Roseana.

Em represália à decisão do PT nacional, o deputado Domingos Dutra (PT-MA) está em greve de fome, há cinco dias, no plenário da Câmara, junto com Manoel da Conceição Santos, um dos fundadores do PT. Aos 75 anos e diabético, Manoel passou ontem oito horas no serviço médico da Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.