PCC comanda rebelião no Rio de Janeiro

A rebelião na casa de custódia Jorge Santana, em Bangu, está sendo comandada pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). O líder do motim, o paulista Julião, que é membro da organização criminosa, disse à imprensa que a facção e o Comando Vermelho (CV) - que disputa o comando do tráfico de drogas no Rio - "são uma família só". Julião disse que os presos aproveitaram a fuga de dois detentos, por volta das 19h30 de ontem, para fazer exigências. Entre os fugitivos, está um criminoso identificado apenas como Sombra, que é ligado ao CV. Um PM e um agente penitenciário estão sendo mantidos reféns. Um funcionário do presídio que também estava sob a mira dos presos foi libertado por volta das 5 horas. Um pastor evangélico identificado como Marcos está acompanhando a rebelião. A casa de custódia abriga presos que aguardam julgamento.A imprensa entrou nesta manhã no local, como exigiam os detentos, para acabar com o motim. Mesmo assim, logo depois da saída dos repórteres, 20 presos ocuparam a caixa d?água que fica no telhado do presídio. Os amotinados estão com camisas vermelhas e uma bandeira da mesma cor, em alusão à facção crimininosa Comando Vermelho (CV). Eles fazem com as mãos o símbolo do grupo. Cerca de 60 policiais fazem o cerco à unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.