PCC pode ter feito rifa para arrecadar dinheiro para atividades

O Primeiro Comando da Capital (PCC) pode ter distribuído, em diversas cidades do Estado de São Paulo, pelo menos 100 mil números de uma rifa para arrecadar fundos para suas atividades. Cada número era vendido a R$ 10,00 e concorria a um VW Gol e uma motocicleta Honda CG 150cc, além de geladeira, fogão, microondas, TV 29 polegadas e aparelho de DVD, que seriam sorteados pela Loteria Federal em 16 de junho último.A suspeita é da Polícia Civil de São José do Rio Preto, na região Noroeste, depois de prender uma quadrilha de bandidos ligados à facção, que traficavam drogas e vendiam as rifas. Foram apreendidos dois talões com 400 bilhetes, além de 3 kg de crack e pasta e cocaína, um revólver calibre 38, 5 celulares e coletes à prova de bala. Dois casais foram presos. Todos possuem ligações com membros do PCC presos na Penitenciária 2 (P-2) de Presidente Venceslau. Segundo o delegado Donizete Curti, o bando não quis prestar depoimento, mas a polícia tem informações de que parte dos talões com bilhetes eram repassados a entidades assistenciais para serem vendidos, em troca de uma comissão. Com os recursos, o PCC financia, entre outras coisas, as viagens de parentes para visitar detentos nos presídios do interior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.