PCC preparava arrastão no litoral

Quadrilha foi detida na quadra da Barroca Zona Sul; preso já teria planejado um túnel para fugas em Avaré

Josmar Jozino, O Estadao de S.Paulo

18 de abril de 2009 | 00h00

O Condomínio Cibratel, em Itanhaém, na Baixada Santista, era o alvo dos 18 integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) presos anteontem por policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). O bando foi flagrado na quadra da escola de samba Barroca Zona Sul, onde se reunia para traçar os detalhes da ação.Um dos presos é Oslair Oliveira Silva. Segundo a Polícia Civil, ele é suspeito de ter contratado "operários" para fazer as escavações do túnel de 200 metros de extensão, encontrado por PMs em 17 de março deste ano, em Avaré. O túnel ligava uma casa à Penitenciária 1 da cidade e foi construído para resgatar líderes da facção recolhidos naquela unidade.Com os 18 homens presos anteontem, os PMs aprenderam um mapa de Itanhaém, além de sete veículos, R$ 10 mil. Nenhuma arma foi encontrada com o bando. Os acusados foram autuados em flagrante por formação de quadrilha pelo delegado-assistente da 2ª Seccional (Sul), João Batista Araújo.ATAQUE NO FERIADOOntem, investigadores do Departamento de Polícia Judiciária do Interior 6 (Deinter-6), de Santos foram à sede da 2ª Delegacia Seccional. Os policiais pegaram uma cópia do mapa apreendido com os criminosos. Segundo o diretor do Deinter-6, delegado Waldomiro Bueno Filho, a Polícia Civil já tinha informações sobre um possível assalto no condomínio.A Polícia Civil acredita que os criminosos iriam realizar o assalto no feriado de Tiradentes, quando é grande o número de turistas nas casas de veraneio. O PCC planejava um arrastão em Cibratel, onde os imóveis são avaliados entre R$ 120 mil e R$ 1,5 milhão.Dos 18 presos, 7 tinham passagens por roubo e eram foragidos da Justiça, incluindo Oliveira Silva. Eles foram transferidos ontem para o Centro de Detenção Provisória 4 (CDP) de Pinheiros. Os demais acabaram removidos para o CDP de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.