PCC usa a web para espalhar o terror e "parar a sociedade"

O Primeiro Comando da Capital (PCC) mais uma vez está utilizando a tecnologia a serviço do crime. Para não ser flagrada nas interceptações telefônicas da polícia, a facção criminosa substituiu os telefones celulares pelo computador e agora dissemina suas ordens terroristas por meio da internet e por panfletos espalhados por familiares ou simpatizantes.Os departamentos de inteligência da Polícia Civil e da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) acreditam que foi dessa maneira que a organização conseguiu surpreender a polícia com a terceira onda de ataques deflagrados na madrugada de segunda-feira. Nesta quarta-feira, o Jornal da Tarde recebeu uma das mensagens (leia íntegra no final desta matéria) que estão sendo esparramadas pela rede mundial de computador. No comunicado, a facção afirma que as "lutas travadas contra o governo" são resultado dos maus-tratos, espancamentos e tortura sofridos dentro do sistema penitenciário. "Estamos sendo tratados como animais e ainda assim lutamos pelas nossas melhorias porque queremos paz, justiça, liberdade e igualdade."A nota é contundente ao dizer que o interesse do PCC é "parar a sociedade" e que os líderes, detidos no Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes, autorizam e endossam qualquer iniciativa isolada nesse sentido. "Esclarecemos que queremos parar a sociedade, e isto mais: os irmãos do BIG (CRP de Bernardes) deixam claro que está aberto o espaço para qualquer irmão que queira realizar algo nesse sentido. É só pôr para andar."Os atentados, segundo a facção, só acabarão "quando o governo também parar com a hipocrisia e cumprir a lei (de Execuções Penais)".O delegado Ruy Ferraz Fontes, do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), afirmou que é possível interceptar e-mails e que esse procedimento já está sendo adotado pela Polícia Civil Paulista para conter as ações do crime organizado. A interceptação telemática, assim como no caso da telefônica,depende da intervenção das empresas que controlam os servidores. Leia a íntegra do e-mail:"SALVE GERAL DIA 07 / 08 / 2006Diante de tudo que aconteceu de diversas formas, violência de todas as partes, a imprensa procurou o tempo todo nos deixar culpados de todas as situações. Sabemos que fazem isto no intuito de achar a verdade com tudo o que expõem, sendo que atraem o interesse do governo e acabam nos torturando presos, e a política em época de campanha como na época que estamos vivendo, acabamos nos tornando em projeto político. Em virtude de tudo isso e sendo pelo motivo da imprensa nos colocar como animais, tudo o que eles querem é fazer piorar a nossa situação. Sendo assim está em andamento um trabalho onde pedimos a colaboração de todos os irmãos que forem capazes de estar encaminhando por meio de panfletos, internet, conectar órgãos de imprensa e passar da seguinte forma:NOTA DE ESCLARECIMENTO: O Primeiro Comando da Capital PCC vem por meio desta esclarecer o verdadeiro motivo de todas essas lutas travada contra o governo nestes últimos dias, o que na verdade é o dever dos órgãos de imprensa que ao contrário disso escondem a verdade e veiculam as notícias de acordo com seus interesses principalmente os do governo. Esclarecemos que o Primeiro Comando da Capital PCC 1533, é contra todos em qualquer forma de opressão em que o forte é habituado no mais fraco. Apesar de usarmos a força para combater antes de usarmos o diálogo, a violência que se vê é de fruto da violência que se usa contra o preso. O fraco é o povo da periferia, pois já é sabido de todos que quem bate para ensinar também está ensinando a bater. Não somos contra o governo mas somos contra a injustiça , abuso de poder, maus tratos, espancamentos e violência há anos às classes pobres nesse país. Apesar de nossa posição social e por isso ser visto como uma organização criminosa , nós não aceitamos em nosso convívio: estupros, assaltos e extorsões, injustiças, cobiças, homossexualismo e calúnia. Buscamos entre nós o máximo de respeito e solidariedade, e nos apoiamos entre si dividindo um pouco de tudo que temos entre materiais e carinho humano com projetos sociais, e nossa verdadeira luta é pela dignidade humana sem discriminação, não visamos nenhum tipo de lucro material dessa luta, e por ela nos sacrificamos sem medir as forças.O sistema não respeita as leis que o constitui, e é só uma piada que os pobres nem sabem o que é. Tudo isso que incomoda o governo que nos joga as traças e longo dos olhos do povo fazem barbaridades usando os agentes de sua cúpula como instrumentos de tortura e vingança. Nós somos reféns do sistema, não temos apoio algum, sem estudo e trabalho, recursos e lazer, e o pior sem defesa e direitos. Estamos sendo tratados como animais e ainda assim lutamos pelas nossas melhorias porque queremos paz, justiça, liberdade e igualdade , e isso só vai acontecer quando o governo também quiser e parar com essas hipocrisias e cumprir a lei.OBS: Esclarecemos que queremos parar a sociedade, e isto mais, os irmãos do BIG deixam claro que está aberto o espaço para que qualquer irmão que queira realizar algo nesse sentido, é só por para andar.Deixamos um forte abraço e agradecemos a todos.PCC"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.