PDT deve fechar acordo para apoiar Alckmin no 2º turno

O PDT já apresentou ao candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, uma pauta de reivindicações ligadas à legislação trabalhista como exigência para declarar apoio à candidatura tucana no segundo turno da eleição.Fontes do partido declararam à Agência Estado que o presidente do PDT em São Paulo, deputado eleito Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, conversou na última segunda com Alckmin e reivindicou "algumas garantias" do tucano para manifestar apoio. Acordo quase fechadoSegundo as mesmas fontes, Alckmin aceitou as exigências e deverá fechar um acordo com o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, nas próximas horas, a ser anunciado entre esta terça e a próxima quarta.Os pedetistas querem que Alckmin assegure, caso vença a eleição, que não enviará uma reforma trabalhista ao Congresso Nacional que diminua direitos dos trabalhadores. As propostas nasceram na Força Sindical, segunda maior central de trabalhadores do País e que volta essa semana a ser presidida por Paulinho, mantendo laços estreitos com o PDT.ReivindicaçãoO PDT admite a necessidade de a legislação ser "atualizada", contanto, porém, que não se altere garantias como 13º salário, abono salarial de férias, licença maternidade, entre outros itens.Outra condicionante de apoio apresentada ao tucano foi a de envio pelo Executivo de uma legislação ao Congresso Nacional para regulamentar exclusivamente o trabalho do comércio aos domingos. Sindicalistas alegam que os comerciários têm sofrido pressão para trabalhar os sete dias da semana, com regime de folgas funcionando de forma irregular, sem datas estabelecidas.A última proposta é de extensão aos trabalhadores terceirizados dos direitos assegurados àqueles que têm registro em carteira. Na visão de sindicalistas, a terceirização da mão-de-obra tem provocado demissões e redução de vencimentos e benefícios para trabalhadores formais, sobretudo no meio industrial e de serviços."O acordo de apoio à Alckmin está muito perto de acontecer e é inclusive uma exigência de candidatos do PDT eleitos e que disputam o segundo turno nos Estados", declarou a fonte.Outros apoiosOs dois candidatos do PDT a disputar o segundo turno, Jackson Lago, no Maranhão, que enfrenta Roseana Sarney (PFL), e Osmar Dias, no Paraná, adversário de Roberto Requião (PMDB), já manifestaram apoio a Alckmin.Os quatro deputados federais eleitos pelo partido em São Paulo e Mato Grosso do Sul também preferem estar ao lado do tucano no segundo turno, segundo a mesma fonte, acrescentando que Cristovam Buarque, candidato do PDT à Presidência derrotado no primeiro turno, também sugere a mesma posição, embora ainda não tenha se pronunciado publicamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.