PE limita-se e divulga dado parcial de homícidios no carnaval

Para Secretaria de Defesa Social, houve apenas duas mortes no Estado; número pode ser de 66 no período

Angela Lacerda, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2009 | 18h22

A Secretaria de Defesa Social se limitou a divulgar na tarde desta quinta-feira, 26, a ocorrência de apenas dois homicídios durante o período do carnaval, em dois focos de folia - um em Igarassu, na região metropolitana, e outro no desfile do Galo da Madrugada, no sábado à tarde, no Recife. Ao contrário dos anos anteriores, não foi divulgado o número de homicídios registrados no Estado nos dias de carnaval.  Veja também:Carnaval de AL registra redução de 38% nos homicídiosÍndices de violência caem durante carnaval de Salvador Neste ano foi montado um forte aparato policial, com 24 mil homens nos 88 focos de animação espalhados por todo o Estado. O fato criou, segundo o governador Eduardo Campos (PSB) em entrevista concedida na terça-feira, a "sensação de segurança" por parte da população, que via a polícia na rua. No entanto, de acordo com o blog PE Body Count, que conta os homicídios em Pernambuco, 66 pessoas foram mortas no período, superando o total de 58, registrado - e divulgado oficialmente - no carnaval 2008. O secretário de Defesa Social, Servilho Paiva, explicou que a entrevista era sobre a "Operação Carnaval" e que o número total de homicídios ainda estava sendo consolidado.  Vandalismo Desde a noite da sexta-feira até a Quarta-Feira de Cinzas, 461 coletivos foram danificados na região metropolitana do Recife, o que representou um aumento de 63% em relação ao carnaval do ano passado. De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transportes, o prejuízo foi de R$ 63 mil, com um total de 812 itens avariados - vidros, assentos, lanternas, lataria. As linhas que levavam passageiros para o Ibura, na zona sul do Recife, e para o município de Olinda foram as mais atingidas pelo vandalismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.