PE suspende férias de policiais para combater a violência no fim de ano

Governo justificou medida pela necessidade de reduzir criminalidade em dezembro, algo considerado fundamental para impulsionar economia no Natal

Anderson Bandeira, Especial para O Estado

15 Dezembro 2016 | 17h00

RECIFE - Em uma decisão estratégica para tranquilizar a população durante as festividades de fim de ano, o governo de Pernambuco anunciou, nesta quinta-feira, 15, a suspensão das férias dos policiais militares e civis do Estado entre os dias 15 a 31 de dezembro. 

Conforme publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), o governo pernambucano justificou a medida pela necessidade de prevenir e reduzir a criminalidade no mês de dezembro, algo considerado vital para impulsionar a economia em razão das compras de Natal, e da diminuição de efetivo no Programa de Jornada Extra de Segurança (PJES).

"(O aumento do efetivo se dará) Diante do aquecimento da economia, das festividades de fim de ano e do aumento do fluxo de pessoas no Estado e tendo em vista a redução de policiais militares nas ruas em razão da não adesão ao PJES", argumentou. 

A decisão vem também como reação à operação padrão deflagrada pela Polícia Militar na última sexta-feira - quando os policiais decidiram não aderir ao PJES, reduzindo o efetivo nas ruas - e que deverá continuar até o dia 4 de janeiro, data em que deve ocorrer uma nova reunião entre categoria e o Estado. Desde o início da operação, 3,5 mil militares da Marinha, Exército e Aeronáutica foram recrutados para reforçar a segurança no Estado. Eles devem ficar em ação até o dia 19 de dezembro. 

Nesta quinta-feira, 15, a Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE) informou que vai analisar a legalidade da decisão do governo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.