"Peço a Deus que os soldados encontrem sobreviventes", diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista à imprensa no salão de festas do condomínio onde mora, em São Bernardo do Campo, falou na tarde deste sábado, 30, sobre o acidente com o Boeing 737-800 da Gol, que caiu sexta-feira, 29, quando voava de Manaus para Brasília. Acompanhado da mulher, Marisa Letícia, e do porta-voz da Presidência, André Singer, Lula chamou os jornalistas e disse: "Quero falar como presidente da República sobre o acidente com o avião da Gol".Lula disse que passou o dia em contato por telefone com o comando da Aeronáutica, e que soube que foram descobertos destroços do avião no norte de Mato Grosso. Segundo ele, os militares da Força Aérea Brasileira (FAB) que conseguiram descer no local constataram que não há indícios de sobreviventes. "Mas os soldados continuavam as buscas, na esperança de que houvesse um milagre.""Marisa e eu estamos aqui para dar os pêsames aos familiares dos passageiros. E vamos declarar luto oficial de três dias", afirmou. Lula disse que o Brasil está sofrendo com o acidente. "O Brasil está chorando essas perdas de vidas humanas. Pedimos a Deus para que não aconteça mais vezes, pois nós que usamos aviões todos os dias sabemos os perigos. Peço a Deus que os soldados encontrem sobreviventes. Mas os indícios não são bons."O vôo 1907 partiu sexta-feira, às 15h35 (horário de Brasília) do aeroporto de Manaus e tinha chegada prevista ao aeroporto de Brasília às 18h12. O último contato com a aeronave ocorreu às 16h48. Estavam a bordo 155 pessoas, sendo que 149 delas eram passageiros e 6 tripulantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.