Pecuarista é morto em Ribeirão Preto; irmão é preso

O pecuarista Quintino Francisco Facci, de 42 anos, foi assassinado a tiros na tarde de sexta-feira, e seu corpo, encontrado no mesmo dia do crime, foi reconhecido na noite de domingo por familiares. O empresário e irmão da vítima, Quintino Antônio Facci, foi preso em flagrante acusado de ser o mandante do crime, por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).Também foram presos Eduardo Borges, funcionário da vítima, e seu tio João Batista dos Reis Filho, conhecido como Alemão, fugitivo da cadeia de Ribeirão das Neves (MG). Os dois são acusados de intermediarem o crime. Eduardo teria "apresentado" a vítima aos dois executores, que vieram de Belo Horizonte para matar o pecuarista. Ele receberia R$ 500 pelo trabalho, enquanto os matadores receberiam R$ 15 mil após o Natal.O crime teria sido motivado pela disputa por inúmeras propriedades da família. Os irmãos Quintino Antônio e Quintino Francisco são filhos do fazendeiro Quintino Facci, um dos maiores proprietários de terras urbanas e rurais da região de Ribeirão Preto. O advogado de defesa de Quintino Antônio Facci, Said Issa Hallak, protocolou ontem um pedido de relaxamento de prisão, mas o juiz de plantão Ricardo Braga Monte Serrat não o julgou até a tarde desta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.