Pedaços de avião de carga caem sobre 22 casas em Manaus

Não houve vítimas e DC-10 ainda conseguiu seguir viagem por 1 hora, até pousar em Medellín

Liège Albuquerque, MANAUS, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

A carenagem (capa) da turbina de um avião cargueiro caiu por volta das 2 horas de ontem sobre uma casa no conjunto Terra Nova 2, na zona leste de Manaus (AM). O pedaço maior da fuselagem, com cerca de 1,5 metro, chegou ao solo em chamas, caiu sobre a sala de outra residência e rolou em um barranco, colidindo com um carro. Pedaços menores da fuselagem ainda atingiram mais 20 casas e dois carros, segundo a Defesa Civil de Manaus. Não houve vítimas no local e o avião desceu em segurança, uma hora mais tarde, no Aeroporto de Medellín, na Colômbia, embora o pouso estivesse previsto para Bogotá.O avião DC-10 tinha quatro tripulantes e pertence à empresa Arrow Cargo. No momento do voo, segundo a gerente Rai Marinho, estava "carregado", mas não foram dadas mais especificações. Uma nota divulgada pela Aeronáutica no final da tarde, contudo, afirma que o avião tinha autorização para voos "sem fins lucrativos e sem cargas". BOLA DE FOGOA dona de casa Renata de Souza, que mora na frente da residência mais atingida, disse que ouviu um estrondo e foi à janela. Foi quando viu uma "bola de fogo". "Teve gente que achava que era meteoro, coisa de extraterrestre. Eu saí correndo com meus filhos, com medo de incêndio, mas apagou logo e ficou só uma fumaça.""Quero ver quem vai pagar meu conserto", disse o industriário Mariovaldo Souza, de 52 anos, que teve a frente do carro furada por um pedaço da fuselagem. A mesma preocupação tinha o mecânico Raimundo Oliveira, que teve o maior prejuízo de todos os atingidos: a sala e parte do telhado de sua casa foram completamente destruídos pela queda da turbina. Até as 18 horas de ontem, nenhum funcionário da empresa aérea havia entrado em contato com os moradores, embora a fuselagem já tivesse sido retirada do local pela Arrow para ser levada a um hangar da Aeronáutica.Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), ao receber as informações sobre a queda da fuselagem, a torre de comando do aeroporto acionou os quatro tripulantes do cargueiro, determinando que não havia necessidade de interromper o voo. Segundo o coordenador do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), coronel Vladimir Passos, será de responsabilidade do órgão a investigação do incidente. FRASESRenata de SouzaDona de casa"Teve gente que achava que era meteoro. Saí correndo com meus filhos, com medo de incêndio"Mariovaldo SouzaIndustriário"Quero ver quem vai pagar meu conserto"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.