Pediatra acusado de pedofilia tem licença cassada

O Conselho Federal de Medicina (CFM) manteve nesta quarta-feira, por unanimidade, a cassação do registro profissional do médico pediatra Eugênio Chipkevitch, que havia sido determinada pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) em 2003. Com a decisão, o médico está definitivamente impedido de exercer a profissão, pois não cabe recurso da decisão do CFM.O médico teve sua prisão decretada em março de 2002, após ser acusado de abusar sexualmente de menores em sua clínica, em São Paulo. A Polícia apreendeu 35 fitas de vídeo, gravadas pelo próprio médico, que demonstravam, além do crime de pedofilia, infração aos princípios éticos normatizados pelo Código de Ética Médica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.