Pediatra e professor são acusados formalmente por abuso sexual

O Ministério Público de São Paulo ofereceu nesta segunda-feira denúncia (acusação formal) contra o pediatra Eugênio Chipckevitch, por abusar sexualmente de pacientes. Ele foi acusado por 12 atentados violentos ao pudor (ato de violência sexual), 11 crimes de violação de imagem de adolescentes e 1 caso de corrupção de menor. Caso seja condenado pela Justiça, está sujeito a uma pena mínima de 84 anos de prisão e uma máxima de 228 - a lei no Brasil impede que alguém fique preso por um período maior de 30 anos. A denúncia foi entregue à 10ª Vara Criminal da capital, que decidirá se aceita ou não a denúncia, instaurando processo judicial contra o médico.ProfessorJoão Batista Lisboa, professor de futebol do Centro Desportivo Municipal do Parque São Lucas, na zona leste de São Paulo, que é acusado de abusar sexualmente dos alunos, também foi denunciado hoje pelo MP. As duas acusações por atentado violento ao pudor foram formuladas pelo promotor Antonio Carlos da Silveira Arnóbio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.